Segue o mistério sobre movimentação atípica na conta de Pazuello

Faz um mês que a CPI da Pandemia identificou uma movimentação atípica no sigilo bancário do general Eduardo Pazuello, como revelou o Radar.

Mas até agora nem o ex-ministro da Saúde quis explicar e nem os senadores conseguiram entender por que ele recebeu um crédito de 104 300 reais em junho de 2020, um mês depois de assumir a pasta. O valor é cerca de três vezes maior do que habitualmente entra na sua conta, segundo quem teve acesso ao sigilo.

Pazuello, por sinal, depôs no Senado em maio e foi reconvocado no mesmo mês, mas até agora não há data marcada para a nova ida do atual secretário de Estudos Estratégicos da Presidência à CPI. Pode nem acontecer, já que o relator Renan Calheiros pretende entregar o relatório final na segunda quinzena de setembro.