Com declarações de ‘admiração’, BB confirma paz com Febraban

Com declarações de “admiração” e de “respeito”, terminou na manhã desta sexta a novela da suposta ruptura do Banco do Brasil e da Caixa com a Febraban.

A turma do governo não gostou de saber que a entidade dos bancos iria divulgar uma nota em defesa da harmonia dos poderes.

Com o texto na rua, descobriu-se que a nota era fruto de pouco suco. Quase nada disse sobre a agenda de atritos alimentada pelo Planalto com os demais poderes e seus reais responsáveis.

Sendo assim, o Banco do Brasil divulgou nota há pouco para confirmar o que já havia informado mais cedo Lauro Jardim. “Chegamos a um entendimento que é fruto de discussões respeitosas entre as partes e que não inibe a livre expressão de qualquer membro da Federação. O comunicado da Febraban, por um lado, reafirmou sua convicção pelo conteúdo pacífico e equilibrado do manifesto e, por outro, acena ao BB e à CEF quando registra a desvinculação do movimento liderado pela FIESP, contribuindo para a solução do impasse”, disse Fausto Ribeiro, presidente do BB.

A nota do BB:

Após negociações respeitosas entre os membros da Febraban ocorridas nesta semana, e reconhecendo o esforço empreendido por todos na busca pelo diálogo e por soluções mediadas, como é tradição na Febraban, o Banco do Brasil esclarece que não tem intenção de se desassociar da Federação e reafirma seu respeito pelos pares e sua admiração pela importante história construída pela Federação em seus mais de 50 anos de existência.

“Chegamos a um entendimento que é fruto de discussões respeitosas entre as partes e que não inibe a livre expressão de qualquer membro da Federação. O comunicado da Febraban, por um lado, reafirmou sua convicção pelo conteúdo pacífico e equilibrado do manifesto e, por outro, acena ao BB e à CEF quando registra a desvinculação do movimento liderado pela FIESP, contribuindo para a solução do impasse”, disse Fausto Ribeiro, presidente do BB.

O BB também acredita que o episódio poderá, ao final, contribuir para reforçar mecanismos internos na Federação que favoreçam o diálogo e reforcem o papel da Febraban como importante agente de desenvolvimento do País.