Rodoviários fazem protesto pelo 2º dia seguido contra privatização da Carris e extinção de cobradores em Porto Alegre


Ônibus estão saindo normalmente da garagem da empresa, mas caminhada no corredor de ônibus da Bento Gonçalves deve causar lentidão. Protesto em frente à Carris nesta sexta-feira (3)
Reprodução / RBS TV
Funcionários da Companhia Carris Porto-Alegrense realizam protestos, pelo 2º dia consecutivo, contra a privatização da empresa e a extinção gradativa da função de cobradores, na manhã desta sexta-feira (3) em Porto Alegre.
O projeto dos cobradores já foi votado e aprovado pela Câmara de Vereadores, na noite de terça-feira (1º) e deve extinguir gradativamente a função nos próximos 4 anos. Já a privatização da empresa ainda deve ser discutida e votada.
O protesto em frente à Carris ocorre desde as 3h30 da manhã desta sexta. Os trabalhadores não estão impedindo a saída dos veículos da garagem, e até as 7h, cerca de 40 ônibus já haviam saído.
A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), está prestando apoio ao transporte ofertando linhas de outras empresas, mas pode haver atrasos e lotação em paradas de ônibus.
Por volta das 7h45, os trabalhadores saíram da frente da empresa e começaram uma caminhada em direção ao corredor de ônibus da Bento Gonçalves, até o terminal São Jorge. A manifestação deve causar lentidão.
Na quinta-feira (2), o Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT-RS), determinou por meio de liminar, que os funcionários da Carris mantenham 65% da frota em circulação durante a greve. Em caso de descumprimento, foi estabelecida multa diária de R$ 20 mil.
O pedido de liminar foi feito pelo Município de Porto Alegre e a Carris, contra o Sindicato dos Rodoviários de Porto Alegre, que representa os trabalhadores.
VÍDEOS: tudo sobre o RS