O silêncio de Moro sobre a conquista da Casa Civil pelo centrão

O ex-juiz Sergio Moro deixou a magistratura em 2018 para fazer parte de um governo que havia saído das urnas com promessas de nova política e de desprezo aos velhos caciques partidários do Congresso.

Num famoso artigo sobre a Operação Mãos Limpas na Itália, escrito em 2004, Moro falou sobre o combate à corrupção e o papel da “opinião pública esclarecida” como motor do combate a práticas conhecidas da classe política.

Integrante desse grupo “esclarecido”, Moro viajou para uma temporada nos Estados Unidos enquanto amigos e aliados alimentam a possibilidade de uma candidatura ao Planalto. Da sua lavra, nenhuma palavra foi escrita sobre a consolidação do centrão na cúpula do governo de Jair Bolsonaro.

Um aliado notou a indiferença de Moro. “Para quem deseja participar do debate público como alternativa ao Planalto, esse silêncio não ajuda”, diz um apoiador de Moro, já não tão animado.

 

Artigo anteriorEconomia dos EUA cresce 6,5% no segundo trimestre
Próximo artigoLucro da Ambev atinge R$2,9 bi no 2º tri com volume recorde e crédito fiscal