Manifestantes protestam contra Bolsonaro e crise política neste 7 de setembro


Protestos ocorrem em quase todas as capitais. Atos a favor do presidente e do voto impresso também acontecem pelo país. Protestos contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e a escalada da crise institucional e econômica no país marcam o feriado da Independência no Brasil nesta terça-feira (7). Às 10h, 5 capitais já registravam protestos. (veja abaixo)
Entenda o contexto dos protestos
Convidados por Bolsonaro, Fux, Pacheco e Lira não comparecem a cerimônia do 7 de Setembro
Manifestantes a favor de Bolsonaro e do voto impresso também saem às ruas do país neste feriado.
Minas Gerais
Grupo protesta contra Bolsonaro em Belo Horizonte
Reprodução/TV Globo
Em Belo Horizonte, manifestantes em geral e pessoas do movimento Grito dos Excluídos protesta contra a gestão da pandemia pelo governo federal, o desemprego, a fome e o presidente. Eles se concentraram às 9h na Praça Afonso Arino e de lá seguem para a Praça da Estação, no Centro da capital.
Servidores públicos e funcionários dos Correios também saíram às ruas da capital mineira para protestarem contra Bolsonaro.
Distrito Federal
Agricultores do Movimento Sem Terra (MST) levaram alimentos para doar a indígenas acampados em Brasília
Brenda Ortiz/G1
Em Brasília, representantes de movimentos estudantis, partidos de esquerda, sindicatos e representantes de povos indígenas estão reunidos na Torre de TV para protestar contra Bolsonaro, contra as pautas ambientais do governo e contra a gestão da pandemia, entre outros temas.
Vestidos de preto e vermelho, os ativistas carregam faixas com dizeres como “fora Bolsonaro” e “impeachment já”.
Rio de Janeiro
No Rio de Janeiro, manifestantes e grupos de centrais sindicais, movimentos feministas e partidos políticos se reuniram às 9h no centro da cidade. Eles pedem por vacinas contra a Covid-19, por melhores salários e empregos.
Manifestantes se concentram na Avenida Presidente Vargas, altura da Uruguaiana, no Centro do Rio, na manhã deste sábado (7)
G1 Rio
Minas Gerais
Bahia
Em Salvador, manifestantes pedem o aumento do valor do auxílio emergencial pago pelo governo federal, mais vacinas contra a Covid-19, e a saída de Bolsonaro. Eles também protestam contra a fome no Brasil.
Manifestantes fazem ato contra Bolsonaro no Campo Grande, em Salvador
Cid Vaz/TV Bahia
Cartazes chamam o presidente de genocida, em alusão às mais de 583 mil mortes de coronavírus, em meio à pandemia de Covid-19.
Também há protestos contra Bolsonaro marcado nas cidades baianas de Ilhéus, Itabuna, Vitória da Conquista e Feira de Santana.
Piauí
7 de Setembro: grupo protesta contra o governo Bolsonaro sob a Ponte JK, em Teresina
Lucas Marreiros/G1
Em Teresina, estudantes, trabalhadores, centrais sindicais e integrantes de partidos políticos protestam contra Bolsonaro. O grupo utiliza faixas, carros de som e cruzes, estas em alusão à condução da pandemia pelo governo federal.
Às 10h, parte do grupo saiu em caminhada pela Avenida Marechal Castelo Branco em direção à Ponte Juscelino Kubitschek, como forma de homenagem às vítimas da Covid-19 – 583.866 mortes no Brasil e 6.963 no Piauí desde o início da pandemia.
Na cidade de Parnaíba, litoral do estado, grupos de trabalhadores e integrantes de centrais sindicais realizam uma caminhada contra o governo Bolsonaro.
Maranhão
Manifestantes fazem ato contra Bolsonaro em São Luís
Raunyr Santos/Grupo Mirante
Manifestantes se reuniram no Centro Histórico de São Luís na manhã desta terça em protesto contra o presidente e a favor da garantia dos direitos básicos à população, como saúde, comida e moradia. Pessoas carregavam cartazes pedindo a saída de Bolsonaro e com frases de defesa da democracia.
Durante o ato, os manifestantes pintaram uma parte do asfalto da Avenida dos Portugueses, perto da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), com a frase ‘Fora Bolsonaro’.
Manifestantes fazem ato contra Bolsonaro em São Luís
Raunyr Santos/Grupo Mirante
Rio Grande do Norte
Natal, RN, 9h40: Na praça das Flores, manifestantes pediam saída de Bolsonaro do cargo de presidente
Geraldo Jerônimo/Inter TV Cabugi
Em Natal, o movimento “Grito dos Excluídos” – contrário ao governo e convocado por partidos de esquerda, sindicatos e movimentos sociais – começou por volta das 9h na Praça das Flores. Demais manifestantes contrários a Bolsonaro se juntam a manifestação e pedem a saída do presidente.
Pernambuco
Em Recife, manifestantes em geral e pessoas do Grito dos Excluídos, manifestação que ocorre tradicionalmente no Dia da Independência do Brasil, pedem a saída de Bolsonaro da presidência, além de participação popular, vacina contra Covid-19 para todos, saúde, comida, moradia, trabalho e renda.
O ato foi convocado por movimentos sociais, igrejas, centrais sindicais, movimentos estudantis e partidos de esquerda.
Recife, 10h25: Concentração do ato contra Bolsonaro acontece na Praça do Derby, região central do Recife, nesta terça-feira (7)
Caíque Luís/TV Globo
Tocantins
No interior do país, o primeiro protesto registrado ocorre em Araguaína, no norte do Tocantins. Os manifestantes se reuniram às 7h e serviram café da manhã para moradores de ruas e indígenas venezuelanos que vivem na cidade. Além das pautas nacionais, o grupo se manifesta contra a concessão do Parque Estadual do Jalapão à iniciativa privada.
‘A democracia está sendo atacada’, diz Miriam Leitão
Goiás
Manifestantes contra o governo pedem comida, vacina e direitos aos trabalhadores em Goiânia, Goiás
Gustavo Martins/TV Anhanguera
Na capital, Goiânia, manifestantes protestam desde às 9h30 contra Bolsonaro e contra as pautas antidemocráticas, como a volta do voto impresso. Outras duas cidades do estado registram protestos contra o governo: Anápolis e Catalão.