Mãe de Mayra Aguiar deixa ‘bilhetinhos’ para filha; judoca busca terceira medalha olímpica


Atleta de Porto Alegre foi bronze nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, e do Rio, em 2016. Disputa da categoria até 78kg no judô feminino tem finais previstas para a madrugada desta quinta (29). Mãe de Mayra Aguiar fala de ‘bilhetinhos’ de apoio à judoca
Bronze nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, e do Rio de Janeiro, em 2016, a judoca Mayra Aguiar, de 29 anos, sobe no tatame a partir das 23h desta quarta-feira (28), em Tóquio, em busca de sua terceira medalha olímpica. Natural de Porto Alegre, a atleta conta com o apoio diferente da mãe, Leila Aguiar, que deixa “bilhetinhos” para a filha.
Com a pandemia e a impossibilidade de acompanhar a filha nos locais, a mãe agora envia as mensagens por aplicativo, sempre com mensagens que tranquilizam a judoca. Veja vídeo acima.
“Eu colocava bilhetinhos dentro da mochila, da mala dela. E agora eu estou mandando bilhetinho virtual. Como era quando ela era criança e tinha uma luta no outro dia. Era sempre: ‘está tranquilo, tudo bem, vai dormir que amanhã a gente vê como vai ser’. Para deixar mais tranquila”, conta Leila.
O último recado foi enviado na manhã desta quarta (28, horário de Brasília). A próxima conversa entre mãe e filha deve ocorrer após as lutas da categoria até 78kg, cujas finais estão previstas para a madrugada de quinta (29).
Na avaliação de dona Leila, cada luta de Mayra é uma “consequência do que ela treinou e do que vem fazendo durante a vida inteira”.
Na disputa, a mãe cita preocupação com a recuperação da cirurgia pela qual a atleta passou recentemente. Foi o sétimo procedimento na carreira, agora no joelho. Hellen, a irmã fisioterapeuta de Mayra, auxiliou na recuperação.
Leila e a filha judoca, Mayra Aguiar, que disputa as Olimpíadas de Tóquio
Arquivo pessoal
Bi-campeã mundial, Mayra é também a única atleta brasileira com duas medalhas olímpicas em esportes individuais. Disputar o ouro no Budokan, ginásio das artes marciais construído para os Jogos Olímpicos de 1964, é uma motivação extra para a judoca.
“Poder conquistar um ouro olímpico aqui seria muito marcante. Seria muito gostoso mesmo. E isso me motiva muito. Estou com muita vontade e, com certeza, vou usar essas experiências de tudo que vivi pra poder fazer uma boa competição”, disse, em entrevista exibida no Jornal do Almoço, da RBS TV.
“Acho que valeu a pena. Estar aqui hoje, poder vivenciar esse momento eu já me sinto uma vitoriosa”, afirma Mayra.
Mayra Aguiar recebe a medalha de bronze no Judô, categoria 78kg, nos Jogos Olímpicos Rio 2016
Stoyan Nenov/Reuters
Gaúchos em Tóquio:
‘Cada luta, uma emoção’, diz irmão da judoca Maria Portela
Mãe do judoca Daniel Cargnin faz tatuagem após bronze
Lucão do vôlei usa máscara em quadra: ‘Não vejo dificuldade’
Bronze na natação, Fernando Scheffer iniciou em Canoas
Samuel Albrecht tem barco batizado com o nome da filha
Mayra Aguiar disputa provas do judô em Tóquio; Maria Portela é eliminada após luta polêmica
VÍDEOS: Tudos sobre o RS