Família de Picciani tenta desbloquear bens sequestrados pela Lava-Jato

A família do ex-presidente da Alerj Jorge Picciani tenta desbloquear na Justiça o patrimônio do patriarca, falecido em maio em decorrência de complicações de um câncer.

Em julho do ano passado, Picciani teve pelo menos 44 milhões de reais bloqueados pela Justiça do Rio, em ação que era um desdobramento da Lava-Jato. A 1ª Vara de Fazenda Pública da Capital determinou o bloqueio de bens móveis, imóveis e ativos financeiros, no Brasil e no exterior.

As investigações tiverem como base declarações do doleiro Álvaro Novis. Picciani foi acusado de improbidade administrativa por suspeita de receber propina da construtora Odebrecht em troca de benefícios fiscais e obras no estado.

Em maio passado, a defesa da família pediu ao juízo o levantamento do sequestro com base no argumento de que a morte do réu antes do transitado em julgado significaria também o fim das medidas de bloqueio de seus bens.