Em relatório, servidor da Anvisa relatará dificuldades para ter acesso a jogadores da Argentina

Jogo entre Brasil e Argentina pelas eliminatórias da Copa foi suspenso neste domingo (5) após Anvisa informar que houve quebra de protocolos sanitários por quatro atletas argentinos. Documento da Anvisa mostra que membro da delegação argentina falsificou declarações sanitárias de jogadores
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) finalizará nesta segunda-feira (6) um relatório no qual detalhará todas as barreiras encontradas e os atrasos impostos para que o servidor do órgão tivesse acesso aos jogadores da Argentina neste domingo (5).
O jogo entre Brasil e Argentina pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2022, em São Paulo, foi suspenso após a Anvisa ter informado que houve quebra de protocolos sanitários por parte de quatro jogadores argentinos.
Segundo fontes ouvidas pela GloboNews, no documento que será finalizado nesta segunda, o servidor relatará que ficou impressionado com as dificuldades impostas para fazer valer as regras sanitárias.
Jogo entre Brasil e Argentina é suspenso por jogadores argentinos não cumprirem lei sanitária
Fontes ligadas à apuração também informaram que toda a equipe técnica da Anvisa entende que os jogadores atuaram de forma planejada e “meticulosa”, conscientes do erro e de seus riscos.
Conforme a Anvisa, Emiliano Martínez, Buendía, Cristian Romero e Giovani Lo Celso descumpriram a regra de quarentena imposta a estrangeiros que entram no Brasil vindos da Inglaterra.
O documento da Anvisa informará o passo a passo das cobranças da agência e das dificuldades colocadas, que impediram ao órgão ter acesso ao jogadores com antecedência.
A partida chegou a ser iniciada, mas foi suspensa cerca de 5 minutos depois.
Segundo fontes da apuração, a “cena deplorável da retirada dos jogadores” poderia ter sido evitada se tivessem permitido que a Anvisa cumprisse o trabalho e fizesse valer as regras sanitárias da pandemia.