CPI vai recorrer de decisão que deu a motoboy direito de não comparecer, diz Randolfe

Decisão foi do ministro Nunes Marques, do STF. Ivanildo Gonçalves teria feito saques milionários a serviço da empresa VTCLog. O vice-presidente da CPI da Covid, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), afirmou nesta segunda-feira (30) que a comissão recorrerá ao plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) da decisão do ministro do Nunes Marques que garantiu ao motoboy Ivanildo Gonçalves o direito de não comparecer ao colegiado.
O depoimento de Ivanildo Gonçalves está marcado para esta terça-feira (31), mas, com a decisão de Nunes Marques, o motoboy pode faltar ao compromisso e, caso compareça, poderá ficar em silêncio.
O recurso da CPI, segundo Randolfe, será elaborado pela Advocacia do Senado e, de acordo com o senador, o colegiado pedirá ao presidente do Supremo, ministro Luiz Fux, urgência na análise do tema.
Ivanildo Gonçalves da Silva foi convocado, após um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) indicar que o motoboy teria sacado cerca de R$ 4,7 milhões a serviço da VTCLog, empresa selecionada pelo Ministério da Saúde para cuidar da armazenagem e distribuição de medicamentos. O documento indica ainda que, ao todo, a empresa de logística teria movimentado “de forma suspeita” R$ 117 milhões nos últimos dois anos.
Em conversa com jornalistas antes de uma reunião na casa do presidente da CPI da Covid, Omar Aziz (PSD-AM), Randolfe Rodrigues disse que, se Ivanildo não for à comissão nesta terça, o colegiado fará somente uma reunião, com votação de requerimentos.
“Não há tempo hábil para antecipar um depoimento ou agendar outro”, afirmou.
O senador pelo Amapá disse ainda que, entre os requerimentos, estará o de convocação da advogada Karina Kufa, que defende o presidente Jair Bolsonaro. O nome de Karina apareceu durante depoimento, na semana passada, do ex-funcionário da Anvisa Ricardo Santana.
Foi apresentada, durante a sessão da CPI na última quinta-feira, uma mensagem enviada por Ricardo Santana ao suposto lobista Marconny Albernaz em 23 de maio do ano passado.
No texto, o ex-secretário da Anvisa escreve a Marconny: “Foi um prazer te conhecer hoje na casa da Karina. Aliás, ela me passou seu telefone. Obrigado pelo bate-papo agradável. Se eu puder te ajudar em algo, conte comigo. Boa noite”.
Vice-presidente da CPI, o senador Randolfe Rodrigues afirmou que naquela data foi realizado um evento na casa de Karina Kufa. Para o senador, o texto indica que foi Karina quem apresentou o lobista, que atuaria em favor da Precisa Medicamentos, a Ricardo Santana.
Aos senadores, o ex-secretário da Anvisa confirmou que conhece a advogada, mas disse não se lembrar o “contexto” no qual conheceu Marconny Albernaz Ribeiro.
Outro requerimento que pode ser analisado nesta terça-feira, segundo Randolfe, é o de quebra de sigilo do motoboy Ivanildo.
Na reunião desta segunda, a cúpula da CPI deve redefinir a agenda desta semana que, de acordo com o vice-presidente do colegiado, pode ter depoimentos de quarta-feira a sexta-feira.