CPI da Covid quer saber quem autorizou jogadores da argentina a entrar em campo, diz vice-presidente


Em entrevista à GloboNews, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) afirmou que a comissão pode convocar representantes da CBF e da Anvisa caso informações não sejam enviadas à CPI. O vice-presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito da Covid, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), disse em entrevista à GloboNews neste domingo (5) que vai protocolar um pedido de informações para saber quem autorizou os quatro jogadores da Argentina que infrigiram regras sanitárias brasileiras. O parlamentar também afirmou que a comissão pode convocar representantes da CBF e da Anvisa caso as informações não sejam enviadas à CPI.
A partida entre Brasil e Argentina foi interrompido quando agentes da Polícia Federal (PF) e da Anvisa entraram na tarde deste domingo no campo da Neo Química Arena, em São Paulo, para retirar quatro jogadores da Argentina que não cumpriram a quarentena contra a disseminação do coranavírus. Com isso, o time argentino se retirou do campo em que disputaria partida contra a seleção brasileira.
“Nós estaremos protocolando amanhã um requerimento pedidindo info à Confederação Brasileira de Futebol, à Anvisa, e à Conmebol sobre o acontecido no jogo de hoje. Nos interessa muito menos a questão do futebol. Nos interessa muito mais [saber] quais foram as autoridades brasileiras que constituíram eventual acordo para que tenha ocorrido burla às normas sanitárias do nosso país”, afirmou Randolfe.
De acordo com o senador, a CPI da Covid poder convocar representantes da CBF e da Anvisa caso informações não sejam enviadas à comissão parlamentar de inquérito.
“Nós não queremos aprofundar em relação a esse assunto. Precisamos ter essa informação. Se não tivermos essa informação, não descartamos a possibilidade de convocar um representante da CBF ou da Anvisa para informar quem são essas autoridades”, disse o senador.
“Está claro e foi dito por vários interlocutores, foi dito inclusive pela Conmebol, que havia um ‘acordo’ com as autoridades do governo brasileiro para a participação dos quatro jogadores que foram identificados pela Anvisa burlando as normas sanitárias do nosso país”, continuou Randolfe Rodrigues.
Anvisa suspende Brasil x Argentina por descumprimento de regra
Declarações falsas
Os jogadores argentinos Emiliano Martínez, Buendía, Cristian Romero e Giovani Lo Celso fizeram declarações sanitárias falsas no formulário sanitário ao entrar no Brasil, disse a Anvisa. Com isso, os quatro jogadores devem ser ouvidos na delegacia da Polícia Federal no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, em apuração sobre o crime de falsidade ideológica.
A agência sanitária comunicou o fato à Polícia Federal para que “providências no âmbito da autoridade policial sejam adotadas imediatamente”, de acordo com a nota da Anvisa.
A Polícia Federal tentou buscar os jogadores no hotel e, depois, no vestiário, mas a Argentina não liberou a entrada e, por isso, afirmam que tiveram que entrar no campo.
“Chegamos nesse ponto porque tudo aquilo que a Anvisa orientou, desde o primeiro momento, não foi cumprido. Eles tiveram orientação para permanecer isolados para aguardar a deportação. Mas não foi cumprido. Eles se deslocam até o estádio, entram em campo, há uma sequência de descumprimentos”, afirmou Antonio Barra Torres, diretor-presidente da Anvisa, em entrevista ao locutor Galvão Bueno, na TV Globo.