Câmara de Vereadores aprova projeto que prevê extinção gradativa de cobradores de ônibus em Porto Alegre


Mudança deve ser feita ao longo dos próximos 4 anos. Projeto também define oferta de cursos de qualificação para cobradores, como forma de inserção no mercado de trabalho. Câmara de Vereadores aprova projeto que prevê extinção de cobradores em Porto Alegre
Reprodução / RBS TV
A Câmara de Vereadores de Porto Alegre aprovou por 21 votos a favor e 12 contra, o projeto que prevê a extinção gradativa de cobradores de ônibus na Capital. A votação terminou por volta das 23h30 de quarta-feira (1º).
Segundo a Prefeitura de Porto Alegre, a medida faz parte de um dos principais projetos do governo para reduzir o custo da passagem de ônibus na cidade. Inicialmente será permitido às empresas as viagens sem cobrador, diariamente, entre 22h e 4h.
O projeto também define a oferta de cursos de qualificação para todos os cobradores e avaliação, pelas empresas, do aproveitamento em outras funções, inclusive como motorista e mecânico. A medida busca oportunizar a inserção dos profissionais em outros mercados, de acordo com a prefeitura.
A mudança deve ser gradativa ao longo dos próximos quatro anos, até 31 de dezembro de 2025, com a não reposição de vaga para cobrador pelas empresas nos casos de rescisão do contrato por iniciativa do trabalhador, despedida por justa causa, aposentadoria, falecimento e interrupção ou suspensão do contrato de trabalho.
Votação e tumulto
O projeto não estava na pauta do dia da Câmara de Vereadores, mas foi incluído após um requerimento da vereadora Comandante Nádia.
Houve confusão e tumulto no plenário quando rodoviários tentaram entrar no local e foram impedidos pela Guarda Municipal. Segundo a presidência da Câmara, a ação foi necessária para impedir aglomerações. Após a interrupção, foi permitido que parte do grupo acompanhasse a votação nas tribunas.
A sessão, prevista para acabar no final da tarde, entrou noite a dentro após a base do governo pedir, e aprovar, uma prorrogação dos trabalhos para que o projeto fosse votado ainda na quarta-feira.
Vereadores de oposição se revezaram na bancada em discursos contra a medida.
“Em plena pandemia, extinguir postos de trabalho é uma crueldade. E não traz nenhum benefício pra sociedade, pelo contrário. Quando ele tira o cobrador ele tira o segundo condutor. Aquela pessoa que auxilia o cadeirante, ou outra pessoa que tenha necessidade especiais de locomoção, e coloca nas mãos apenas do motorista que vai demorar muito mais na sua viagem e vai ter responsabilidade dobrada”, destacou o líder de oposição na Câmara, vereador Pedro Ruas (PSOL).
O líder do governo na Câmara, vereador Idenir Cecchin (MDB) disse que não haverá demissão em massa.
“Nós vamos fazer adaptação funcional, vamos dar curso para dar empregos não só no transporte quem sabe uma outra profissão e eu tenho certeza que tanto cobradores quanto outras profissões se adaptam. Nós temos que modernizar, Porto Alegre é uma das poucas grandes cidades que ainda tem cobrador. No mundo não tem mais cobrador pois se paga com cartão, não é mais o dinheiro”.
VÍDEOS: tudo sobre o RS