Atos bolsonaristas provocam suspensão da entrega de vacinas contra Covid, apontam secretarias

Segundo presidente do conselho dos secretários estaduais, aviso do Ministério da Saúde foi dado na noite desta segunda-feira. Secretaria de Saúde do Distrito Federal cita ‘precaução’ Apoiadores convocados por Bolsonaro participam de ato em Brasília
As manifestações convocadas pelo presidente Jair Bolsonaro neste Dia da Independência provocaram a suspensão da entrega de vacinas contra a Covid-19 para esta terça-feira (7).
A informação foi revelada pelo site do jornal “O Globo”. O presidente do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass), Carlos Lula, secretário de Saúde do Maranhão, e a Secretaria de Saúde do Distrito Federal, falaram ao G1 sobre a suspensão das entregas. Procurado, o Ministério da Saúde não tinha se manifestado até a última atualização desta reportagem.
Segundo Carlos Lula, o aviso foi dado pelo Ministério da Saúde, por meio de mensagem telefônica, às 19h45 desta segunda-feira (6).
Segundo ele, a suspensão foi motivada pela “confusão em Brasília” – os protestos, nesta terça, tomaram as ruas de diversas cidades do país. A expectativa, disse, é que as entregas sejam reprogramadas para quarta (8) e quinta-feira (9).
Em nota, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal também confirmou a suspensão. De acordo com o órgão, a medida foi motivada por “precaução”
“Conforme anunciado ontem na coletiva de imprensa da Secretaria de Saúde do DF, havia uma primeira previsão de entrega das vacinas pelo Ministério da Saúde na data de hoje, mas por questões de logística e como medida de precaução por conta do Feriado de 7 de setembro, o planejamento foi alterado e as vacinas serão enviadas amanhã para o DF”, informou a secretaria.
De acordo com “O Globo”, os protestos vão atrasar a entrega de mais de 2,6 milhões de doses, conforme planilhas entregues pelo Ministério da Saúde e quase todos os estados serão afetados.