Vítima do coronavírus, morre em Porto Alegre o general Miotto

Militar da reserva chefiou o Exército na Região Sul e atuou no Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República. (Foto: Comando Militar do Sul/Divulgação)

Ex-chefe do Comando Militar do Sul (CMS) e ultimamente na reserva, o general gaúcho Geraldo Antonio Miotto morreu no início da noite desta quarta-feira (20), aos 65 anos, vítima do coronavírus. O militar estava na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, após passar por internações em dois hospitais militares desde o dia 1º de dezembro.

O falecimento foi confirmado oficialmente por uma nota da instituição de saúde: “Informamos, com a autorização dos familiares, que o paciente Geraldo Antonio Miotto, 65 anos e com diagnóstico de Covid-19, faleceu no dia de hoje, 20 de janeiro de 2021, às 18h30min, no Centro de Tratamento Intensivo”.

De acordo com informações do CMS (responsável pelo Exército nos três Estados da Região Sul) informou que, devido à necessidade de maiores cuidados, Miotto havia dado entrada no Hospital Militar de Porto Alegre e, três dias depois, foi encaminhado ao Hospital de Aeronáutica em Canoas (Região Metropolitana), para melhor suporte no acompanhamento do quadro clínico, antes que fosse necessária a sua transferência para o Clínicas, instituição de referência no tratamento de pacientes da Covid no Estado.

“Nesse momento de dor, o Comando Militar do Sul se solidariza com familiares e amigos, e expressa as mais sinceras condolências pela perda, como também, agradece a dedicação do trabalho prestado ao Exército Brasileiro e ao Brasil”, disse o CMS (antigo 3º Exército), também por meio de comunicado oficial.

Em manifestação à imprensa, o vice-presidente Hamilton Mourão – também gaúcho e general da reserva – se pronunciou sobre a perda do colega de farda: “Geraldo Antonio Miotto foi um homem simples, decidido e amigo leal. Um soldado, na verdadeira acepção da palavra. Estou muito triste”.

Quem também se manifestou sobre a morte do militar foi o governador Eduardo Leite. “Lamento profundamente o falecimento do general Geraldo Miotto, ocorrido hoje”, postou o chefe do Executivo gaúcho nas redes sociais. Antes de deixar o Comando Militar do Sul, ele ofereceu apoio por reiteradas vezes para o enfrentamento à Covid, doença que o vitimou, e também para ações de interesse do Rio Grande do Sul. Meus sentimentos aos amigos e familiares pela perda irreparável.”

Trajetória

Natural da cidade de São Marcos, na Serra Gaúcha, Geraldo Miotto nasceu em 20 de março de 1955. Ele ingressou no Exército em 1973, na Escola Preparatória de Cadetes do Exército, em Campinas (SP). Passados três anos, seguiu para a Academia Militar das Agulhas Negras (Aman) onde foi declarado aspirante a oficial de Cavalaria em 1978 – foi o primeiro colocado da turma.

Ele também ocupou cargos de alto escalão nas Forças Armadas. A lista inclui o comando da Secretaria-Executiva do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), o órgão do governo brasileiro responsável pela assistência direta e imediata ao Presidente da República, com assessoramento pessoal em assuntos militares e de segurança.

Na condição de integrante do alto comando do Exército, exerceu as funções de comandante militar da Amazônia (2016-2018) e da Região Sul (Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná) até abril de 2020, seguindo para a reserva.

(Marcello Campos)

Voltar Todas de Rio Grande do Sul