Um novo lote com 290 mil doses de vacinas contra o coronavírus chega nesta sexta-feira ao Rio Grande do Sul

O Rio Grande do Sul recebe na manhã desta sexta-feira (26) o décimo lote de vacinas contra o coronavírus. São 290 mil unidades, com desembarque às 6h no Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre. Com a nova remessa, o Estado chega a mais de 2,2 milhões de doses recebidas do Ministério da Saúde desde janeiro.

A carga inclui 227,4 mil doses de Coronavac (produzida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria no Brasil com o Instituto Butantan-SP) e 62,6 mil do imunizante de Oxford (elaborada pela farmacêutica britânica AstraZeneca em colaboração no País com a Fiocruz-RJ). Ambas têm aplicação em duas etapas, com intervalos específicos.

Do aeroporto de Porto Alegre, a carga deverá ser levada para a Ceadi (Central Estadual de Distribuição e Armazenamento de Imunobiológicos ), onde ficará armazenada até o envio para os 497 municípios gaúchos por meio das CRS (Coordenadorias Regionais de Saúde). O critério de distribuição é proporcional.

O esquema logístico e os grupos prioritários das novas doses ainda serão definidos em conjunto com as prefeituras, representados pelos Cosems (Conselho de Secretários Municipais de Saúde).

Lotes até agora

– 1ª remessa (18 de janeiro): 341,8 mil doses de Coronavac;

– 2ª remessa (24 de janeiro): 116 mil doses de Oxford;

– 3ª remessa (25 de janeiro): 53,4 mil doses de Coronavac;

– 4ª remessa (07 de fevereiro: 193,2 mil doses de Coronavac;

– 5ª remessa (24 de fevereiro): 135 mil doses de Oxford;

– 6ª remessa (24 de fevereiro): 84,2 mil doses de Coronavac;

– 7ª remessa (3 de março): 174 mil doses de Coronavac;

– 8ª remessa (9 de março): 187,8 mil doses de Coronavac;

– 9ª remessa (17 de março): 318,2 mil doses de Coronavac;

– 10ª remessa: (20 de março): 285,8 mil doses de Coronavac e 36,2 mil de Oxford.

Vacinação

Até o início da noite desta quarta-feira, o Rio Grande do Sul ultrapassou a marca de 1,2 milhão de unidades de vacinas contra o coronavírus aplicadas na população: são 922.983 injeções em primeira e 286.344 em segunda dose. A campanha começou no Estado em 19 de janeiro.

Os números indicam que, proporcionalmente, 18,2% das pessoas que integram o segmento prioritário de imunização já receberam a primeira aplicação, de acordo com os dados do painel oficial do Estado. Já no que se refere à segunda, o índice é de 5,6%.

Nesta semana, durante a assembleia virtual do Conselho Nacional de Secretários Estaduais da Saúde (Conass), a titular da SES, Arita Bergmann, discutiu com outros gestores estaduais um assunto-chave na ofensiva contra o coronavírus: a antecipação da vacinação para professores e profissionais das forças de segurança, ainda não contemplados.

O assunto será pautado na próxima segunda-feira (29) em reunião da Câmara Técnica do Ministério da Saúde, conforme foi acordado com a coordenadora do Plano Nacional de Imunizações (PNI), Francieli Fontana. A antecipação da vacinação para esses segmentos já foi adotada em alguns Estados, mesmo não estando liberada pelo PNI.

Segundo Arita, a hipótese deverá levar em conta os critérios técnicos do PNI, que é elaborado com base em dados epidemiológicos. Ela mencionou o fato de que o colegiado de secretários considera que essa antecipação só poderá ser realizada depois que todos os idosos forem vacinados.

(Marcello Campos)