Rio Grande do Sul já registra dois casos de pessoas que receberam três doses de vacina contra o coronavírus

As prefeituras das cidades gaúchas de São Francisco de Assis (Região Central) e Imigrante (Vale do Taquari) confirmaram, nesta semana, a ocorrência de incidentes envolvendo a aplicação equivocada de terceira de dose de vacina contra o coronavírus. Ambos os casos envolvem pacientes idosos que buscavam imunização contra a gripe.

Em São Francisco de Assis, a situação envolve uma mulher de 72 anos que recebeu três doses da Coronavac-Butantan, fármaco que prevê apenas duas injeções com intervalo de 21 a 28 dias. Sem ter a sua identidade informada, a idosa está sob monitoramento pelas autoridades locais e estaduais.

a Secretaria Estadual da Saúde (SES) considera que, a princípio, não há indicação de risco severo. Também não se sabe se essa inoculação-extra proporcionará algum tipo de proteção adicional contra a doença, até mesmo por faltarem estudos científicos definitivos sobre o tema até agora.

O cartão de controle da paciente mostra que ela recebeu Coronavac nos dias 24 de março, 22 de abril e 12 de maio. Conforme o titular da pasta, Leonardo Pilar, uma falha humana é a causa mais provável para o incidente sanitário, pois no dia da dose indevida, o movimento era intenso no posto de saúde, que também disponibiliza a imunização contra a gripe.

Ele relata que já a agente de saúde responsável pelo engano já está identificada e recebeu orientações, junto com os demais funcionários da unidade, para que o problema não se repita. “Pedimos mais atenção”, ressalta. A 4ª Coordenadoria Regional da SES também foi alertada e acompanha o caso de forma permanente.

Por meio de nota divulgada à imprensa, o órgão estadual esclareceu esse tipo de ocorrência, estatisticamente rara até agora, exige notificação compulsória por parte das prefeituras. A orientação é para que o caso seja acompanhado de perto pelo período mínimo de um mês, por medida de precaução.

Vale do Taquari

Um caso bastante parecido foi registrado recentemente no município de Imigrante. Em um posto de saúde localizado no distrito de Daltro Filho, onde uma dose da vacina de Oxford-Astrazeneca-Fiocruz (com intervalo médio de três meses) foi injetada em uma idosa que já havia completado o ciclo imunizatório com as duas doses de Coronavac-Butantan.

A exemplo do que aconteceu em São Francisco de Assis, o erro foi cometido quando a paciente aguardava o recebimento da vacina da gripe. Segundo a prefeitura, contribuiu para o incidente o fato de a enfermeira responsável pelo procedimento estar em seu primeiro dia de trabalho na unidade – a empresa terceirizada que contratou a profissional (já substituída) enviou comunicado em que assume a responsabilidade pelo ocorrido.

(Marcello Campos)