Restaurantes gaúchos podem funcionar até 23 horas

A flexibilização das atividades econômicas foram autorizadas, pelo governo do Rio Grande do Sul (RS), a partir deste sábado (24). Essa medida de ampliação dos horários de funcionamento e liberação da abertura aos finais de semana, vale para aas regiões que adotam, por meio da cogestão, a bandeira vermelha no distanciamento controlado.

De acordo com o governador Eduardo Leite, em transmissão ao vivo nas redes sociais, na sexta-feira (23), a flexibilização foi possível graças à redução de alguns indicadores da pandemia e pelo comprometimento dos gestores municipais. Os prefeitos enviaram ao Piratini seus planos estratégicos de fiscalização. A atualização do decreto foi publicado na sexta-feira. Em nível estadual, o RS inteiro deve seguir, pela semana seguida, sob a bandeira preta.

Novas medidas atendem a necessidade de garantir fôlego às atividades econômicas, já bastante atingidas pela pandemia”, salientou o governador ao anunciar maior abertura aos comércios gaúchos. Ele também pediu cautela aos prefeitos: “Essa é uma decisão para os municípios que precisem adotar, de acordo com a sua realidade local. Não migrem diretamente para a bandeira vermelha. A cogestão é a possibilidade de ajustes, de acordo com a realidade local”, alertou Leite.

Os novos protocolos destacam a abertura de restaurantes e lanchonetes para público presencial até 23 horas, sendo a última entrada de clientes até 22 horas. Depois deste horário, funcionando apenas por delivery.

As academias e atividades religiosas também ganharam ampliação para funcionarem até 22 horas com público presencial. Já os demais serviços estão autorizados para funcionarem até as 20 horas, da mesma forma como ocorre de segunda a sexta-feira.

Já o comércio essencial e demais serviços permanecem com o funcionamento para atendimento presencial até 20 horas. Após, apenas por serviços de entrega ou retirada. Mercados e farmácias, por exemplo, não possuem restrições quanto ao horário.

Aos finais de semana, os protocolos são diferenciados. Os restaurantes e serviços de alimentação poderão funcionar até as 15 horas, com a saída do último cliente até as 16 horas. Ao segmento é permitido funcionamento de “pegue e leve” até as 20 horas e, após este horário, apenas delivery.

A bandeira vermelha terá ainda a liberação do funcionamento de feiras ao ar livre de serviços não-essenciais, além da liberação de parques temáticos, jardins botânicos e zoológicos para atividades ao ar livre com, no máximo, 25% da capacidade de atendimento. A partir de sábado também ficaram autorizados exercícios de educação física com uma pessoa a cada 16 metros quadrados, e esportes ao ar livre com, no máximo, quatro pessoas.