Rede de Ensino Municipal de Tramandaí incentiva a leitura através de plataforma digital

A pandemia de Covid-19, decretada em março de 2020, mudou a realidade de diversos setores, inclusive na educação. Em 2021, os centros educacionais adotaram o método de ensino híbrido e até ensaiaram uma volta presencial definitiva, que vez ou outra é pausada por conta do agravamento da pandemia. Com isso, as instituições contam com o auxílio da tecnologia para seguirem com o conteúdo programático. É o caso da Rede de Ensino Municipal de Tramandaí, que buscou soluções para dar continuidade ao projeto de incentivo à leitura, utilizando a plataforma digital Árvore.

O uso das ferramentas tecnológicas no ambiente educacional já é realidade há algum tempo, mas em 2020 elas se tornaram uma das únicas possibilidades para que os alunos pudessem prosseguir com as atividades escolares. Em 2021, responsáveis, alunos e professores seguem contando com esse auxílio para o cumprimento do ano letivo.

“Nesse cenário, uma plataforma digital de leitura pode e deve ser usada como fonte de estudo das diferentes disciplinas da escola, ampliação de repertório do aluno, suporte para pesquisa, avaliação de habilidades de leitura e acompanhamento dos educadores da aprendizagem de suas turmas”, avalia Letícia Reina, gestora pedagógica da Árvore, a maior plataforma de leitura digital para educação básica do Brasil e um dos reforços tecnológicos, que atende instituições públicas e privadas e beneficia mais de um milhão de alunos.

De 2020 para cá, a base de escolas que utiliza a Árvore no Brasil se tornou cinco vezes maior. Hoje, o streaming de livros conta com mais de um milhão de estudantes em mais de 3 mil escolas públicas e privadas em todos os estados do país. “Esse crescimento no último ano aconteceu em parte por conta da necessidade do ensino remoto durante a pandemia. Porém, observamos também que a digitalização do ensino e uso de tecnologias para potencializar a educação já era uma tendência, que acelerou no último ano”, analisa João Leal, CEO e cofundador da Árvore.

Para Letícia, usar os dados que as plataformas digitais oferecem sobre o desempenho do aluno possibilita que as mediações sejam mais assertivas e que as instituições tenham um direcionamento mais personalizado para o processo de ensino e aprendizagem. “Com o uso da plataforma é possível indicar os livros, acompanhar o desenvolvimento dos estudantes e incentivar o engajamento por meio da nossa gamificação”, detalha.

Suporte de peso

Logo que as aulas presenciais foram suspensas, a Rede de Ensino Municipal de Tramandaí (RS) buscou uma alternativa tecnológica para continuar com os projetos literários e mesmo com a volta das aulas presencias, a Árvore continua sendo uma ferramenta fundamental para oferecer esse suporte. “Consideramos a plataforma uma importante aliada da nossa rede de ensino. Em nosso município, o incentivo à leitura sempre foi um ponto de atenção do departamento pedagógico, e essas iniciativas são constantemente realizadas em nossa rede. Encontramos na Árvore uma parceria potente para a formação de alunos/cidadãos leitores.”, detalha Andrios Bemfica dos Santos, chefe do departamento pedagógico da Secretária de Educação e Cultura de Tramandaí (RS).

Estabelecer uma rotina de leitura nem sempre é fácil, mas poder contar com ferramentas que auxiliam os alunos, proporciona um aprendizado contínuo. De acordo com Fabiano da Silva Silveira, diretor da Escola Municipal Cândido Osório da Rosa, uma das que utiliza a plataforma no município de Tramandaí, através de seus recursos, o streaming de livros consegue estabelecer uma proposta de intervenção pedagógica entre professor e aluno, propondo o desenvolvimento do educando em suas diferentes habilidades e estabelecendo uma amplitude em seu repertório de leitura.