Quase 20 cidades gaúchas receberão mais câmaras-frias para conservação de vacinas

Os postos de vacinação de 19 cidades gaúchas com mais de 100 mil habitantes receberão câmaras-frias para reforçar a infraestrutura de conservação dos imunizantes contra coronavírus, gripe e outras doenças. A habilitação para o recebimento dos recursos consta em resolução da Comissão Intergestores Bipartite (CIB).

Esses equipamentos são fundamentais para garantir a eficácia e a segurança sanitária do conteúdo das ampolas enviadas pelo Ministério da Saúde e repassadas pelo governo gaúcho às prefeituras, além de evitar desperdício do material. Outros dez municípios (a definir) também receberão incentivos com essa finalidade.

A aquisição das câmaras-frias é viabilizada pelo repasse de verba do Fundo Nacional ao Fundo Estadual de Saúde. “Com essa resolução, 100% dos municípios com população acima de 100 mil habitantes terão acesso a uma câmara fria e um computador nesses locais, que variam de dois a quatro por cidade”, ressalta o Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs).

Além disso, está sendo habilitado o Centro de Referência de Imunobiológicos Especiais (Crie), em âmbito estadual e localizado no Hospital Sanatório Partenon, na Zona Leste de Porto Alegre, para receber R$ 500 mil em equipamentos.

Doação

Na semana passada, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Porto Alegre recebeu por empréstimo mais quatro câmaras-frias compactas, especificamente para os drive-thrus de vacinação. O lote foi cedido pela empresa Coca-Cola Femsa, por um período de pelo menos 90 dias.

“Esse tipo de apoio por parte do setor privado é mais uma demonstração da importância do envolvimento de todo os segmentos da sociedade, apoiando o poder público na luta contra a Covid”, salientou o titular da pasta, Mauro Sparta.

Contando com a colaboração logística do Exército e de diversas entidades públicas e privadas, as tendas em estacionamentos e outros locais da cidade permitem que o a injeção seja aplicada sem que a necessidade de que o indivíduo desça do veículo. Há também a vantagem na agilização do processo.

Trata-se de uma importante alternativa aos postos de saúde, até mesmo pela questão do distanciamento interpessoal, uma das principais diretrizes de prevenção ao contágio por coronavírus.

Desde o início da campanha no Rio Grande do Sul, na segunda quinzena de janeiro, diversos drive-thrus provisórios têm sido utilizados com essa finalidade. Em Porto Alegre, a cada avanço de faixa etária no público-alvo da ofensiva contra o coronavírus tem atraído milhares de cidadãos a endereços como hipermercados, supermercados, universidades e clubes esportivos.

(Marcello Campos)