Projeto de Lei reconhece atividades físicas como essenciais no estado gaúcho

O Projeto de Lei que tramitou durante nove meses foi aprovado pela Assembleia Legislativa e reconhece a atividade física e o ensino infantil e fundamental como essenciais no Rio Grande do Sul. Isso permite a reabertura dos centros de atividade física com as regras de distanciamento na bandeira preta.

Tanto o ensino infantil quanto a prática de exercícios físicos já eram considerados prioritários pelo governo. Os estabelecimentos estão autorizados a operar, com restrições, inclusive na bandeira preta, que é o nível mais rigoroso previsto no modelo de distanciamento controlado. Já o ensino infantil e fundamental seguem suspensos. O protocolo estadual permite atendimento individual com todos os cuidados de distanciamento social para evitar o contágio em academias e similares.

“Os nossos protocolos são os mais seguros do mercado porque são os mais rígidos. Além de ter o básico como o álcool em gel, o tapete sanitizante, o distanciamento, a gente tem a limpeza dos aparelhos, antes e depois. Chega até ser exagerado, porque o aluno sai da máquina e ela é limpa, e quando o outro aluno vai entrar, ele limpa de novo”, contou o vice-presidente do Conselho Regional de Educação Física do Rio Grande do Sul, Alessandro Gamboa.

Para a categoria, o retorno da atividade física é essencial para a saúde da população em meio aos desafios da pandemia. “Todo mundo já conhece alguns benefícios do exercício que é diminuir a pressão arterial, controlar a taxa de glicemia, diminuir o colesterol e os triglicerídios. A gente tem que lembrar também, que o exercício controla o nosso estresse, ansiedade e depressão, isso é bastante fundamental em tempos de pandemia”, relembrou a educadora física, Bianca Maccari.

Um novo decreto deve ser feito pelo governo nos próximos dias com novas regras para continuar mantendo as atividades físicas ativas no estado.