Papagaios-de-peito-roxo resgatados em Santa Catarina vão para Zoológico de Canoas

O Zoológico Municipal de Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre, ganhou novos moradores. Três papagaios-de-peito-roxo, uma espécie em extinção, resgatados em Santa Catarina, agora fazem parte do plantel do MiniZoo. “Acreditamos que os três casos estão relacionados a cativeiro Ilegal de animais silvestres. Os papagaios são muito visados como animais de companhia, sendo adquiridos muitas vezes através de traficantes de animais silvestres”, explica a bióloga Patrícia Valentim.

O coordenador da equipe, Everton Kunzler, e os tratadores Gabriela Goes e Fernando Paiani foram até Florianópolis buscar os papagaios. Na chegada ao Zoo, em Canoas, a veterinária Isadora Favreto fez uma avaliação clínica e constatou que os animais estão saudáveis, com boas condições e peso adequado. Porém, sem condições de retornarem à natureza, por terem sido criados em cativeiro, os animais passarão a viver no MiniZoo.

Resgate

Há cerca de duas semanas, o Centro de Triagem de Animais Silvestres de Santa Catarina CETAS-SC, entrou emcontato com o Zoológico Municipal de Canoas solicitando, com urgência, que recebesse três Papagaios-de-peito-roxo (Amazona Vinacea). Conduzidos pela bióloga Patrícia Valentim, logo começaram os trâmites para que as secretarias estaduais emitissem a documentação necessária ao transporte e transferência dos animais.

Um dos papagaios foi entregue espontaneamente por seu tutor, que não tinha licença para mantê-lo em cativeiro. Apresentava uma lesão na asa direita e o CETAS/SC iniciou o tratamento. A outra ave, apreendida em Joaçaba, tinha uma fratura antiga, já consolidada, no úmero da asa direita. O terceiro foi resgatado em Joinville e permaneceu por um período na Universidade local, pois possuía as penas das asas cortadas.

A bióloga Patrícia destaca que é permitido ter papagaios como animais de estimação, desde que adquiridos de criadores licenciados pelos órgãos ambientais. Interessados devem se certificar junto ao IBAMA se o criadouro é credenciado. É importante ter consciência de que esses animais podem viver muito (cerca de 30 anos), que precisam de condições adequadas como espaço, boa alimentação e visitas regulares ao médico veterinário.

De acordo com a União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN), o Papagaio-de-peito-roxo (Amazona vinacea) está na categoria crítica “EM PERIGO”, em função da rápida redução de sua população nos últimos anos. Estima-se que haja menos de 10.000 indivíduos. Os principais fatores de ameaça para essa espécie são a destruição de ambientes de florestas com araucárias, a caça e o contrabando.

Os papagaios alimentam-se de frutos, mas também consomem sementes, folhas e flores. O pinhão, semente da araucária, é o principal item consumido pelo papagaio-de-peito-roxo no sul do Brasil – por isso, são importantes dispersores de sementes e polinizadores.

Denúncias

Para denunciar cativeiro ilegal, entre em contato com a Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Canoas, pelo telefone 51 3236-1800.

Caso encontre algum animal de vida livre em perigo, entre em contato com o Zoológico Municipal de Canoas através do fone: (51) 99787-1078.