Obras de modernização do aeroporto de Passo Fundo devem começar neste mês

Melhorias devem permitir que o terminal receba aeronaves de grande porte e 300 mil passageiros por ano. (Foto: Arquivo/Palácio Piratini)

Por meio do Ministério da Infraestrutura, o governo federal autorizou a emissão de uma ordem de serviço para o início das obras de modernização do aeroporto Lauro Kurtz, em Passo Fundo (Região Norte), já neste mês. O investimento total é estimado em R$ 43,2 milhões, oriundos do Fnac (Fundo Nacional de Aviação Civil) e com contrapartida de 3% desse valor por parte do governo gaúcho.

Dentre as melhorias no aeroporto, estão a reconstrução da pista de pouso e decolagem, implantação de faixas de pista e áreas de segurança nas cabeceiras, sistema de drenagem, pátio de aeronaves e novo terminal de passageiros e edificações acessórias com mais de 2 mil metros-quadrados.

O projeto também prevê a construção de estacionamento para veículos e uma via de acesso, além de novo sistema de balizamento luminoso, equipamentos e auxílios à navegação aérea, a fim de permitir a operação por instrumentos. Com isso, o terminal poderá receber aeronaves de grande porte e aproximadamente 300 mil passageiros por ano.

Com a ordem de início, os trabalhos de ampliação e modernização do aeroporto devem durar em torno de 12 meses, sendo oito para as obras de pavimentação, drenagem e sinalização. “Vamos criar um cronograma para monitorar e acompanhar o andamento dos trabalhos”, destacou o titular da Selt (Secretaria Estadual de Logística e Transportes), Juvir Costella.

As obras do aeroporto de Passo Fundo estavam programadas para começar no segundo semestre de 2019, mas houve um impasse em relação à proposta de recuperação da pista de pouso e decolagem, que estava em desacordo com o previsto no anteprojeto. A empresa vencedora da licitação, realizada no ano anterior, foi o consórcio Traçado-Engelétrica, que manteve contato com o corpo técnico dos governos federal e estadual.

O secretário de Planejamento, Governança e Gestão, Claudio Gastal, detalhou a solução do problema: “O que gerou esse debate técnico foi, principalmente, a utilização de camada com asfalto polímero, item que garantirá maior durabilidade ao piso. Nós e a Anac [Agência Nacional de Aviação Civil] fizemos questão de mantê-lo. O consórcio compreendeu nosso pedido e entendemos o momento e as questões financeiras que poderiam afetar suas rotinas de trabalho”.

Já o governador Eduardo Leite enalteceu a relevância da obra, muito esperada e de grande utilidade não só para Passo Fundo, mas para toda Região Norte gaúcha. “Isso vai gerar emprego, renda e desenvolvimento. Desde o início do governo, estamos trabalhando para melhorar a infraestrutura do aeroporto de Passo Fundo e tirar esse projeto do papel”, finalizou.

(Marcello Campos)

Voltar Todas de Rio Grande do Sul