O governo gaúcho deve receber mais 300 mil doses de vacina contra o coronavírus a partir da semana que vem

Estado já recebeu quatro lotes de imunizantes desde janeiro. (Foto: Felipe Dalla Valle/Palácio Piratini)

Embora dependa de confirmação oficial, o governo do Rio Grande do Sul espera receber mais 300 mil doses de vacina contra o coronavírus a partir da semana que vem. A expectativa foi reforçada nesta quarta-feira (17) pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, durante reunião com o Fórum de Governadores – incluindo o gaúcho Eduardo Leite.

Desde o dia 18 de janeiro, o Estado já recebeu quatro remessas de imunizantes contra a Covid. O primeiro lote teve 341,8 mil vacinas Coronavac chegou em 18 de janeiro. Depois desembarcaram 116 mil vacinas Oxford/AstraZeneca em 24 de janeiro. No terceiro, foi a vez de 53,4 mil unidades da Coronavac em 1º de fevereiro. Já o quarto envio teve 193,2 mil doses do mesmo imunizante em 7 de fevereiro.

“O foco da reunião foram as doses da vacina contra o coronavírus e o cronograma de distribuição dessas doses”, relatou Eduardo Leite após o encontro, realizado por meio de videoconferência. Ele acrescentou:

“O ministro garantiu que , ainda nesta quarta-feira, teríamos o calendário das distribuições aos Estados para fevereiro e março. E que, até o final desta semana, teremos o cronograma até julho”.

A partir de março, o governo federal projeta um aumento significativo da distribuição, com mais 46 milhões de doses a serem divididas proporcionalmente entre os Estados, com base em critérios de população prioritária.

Essa ampliação se deve ao início da produção própria da Coronavac, pelo Instituto Butantan-SP, que deve viabilizar 18 milhões de doses no mês que vem, e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz-RJ), que terá condições de distribuir 12 milhões de unidades do imunizante.

De acordo com Pazuello, há, ainda, mais uma remessa da vacina de Oxford/AstraZeneca a ser enviada pela Índia, além de doses da Covax Facility. Também está no radar o início da produção da russa Sputinik V no Brasil, pela empresa União Química.

“Ou seja, há uma expectativa de aumento bastante expressivo no volume de doses no mês de março”, ressaltou o governador gaúcho. “São cerca de 12 milhões de novas doses para os Estados, além das cerca de 34 milhões de doses que já foram contratadas e que têm entrega prevista para março.”

Habilitação de leitos de UTI

Também discutida durante a reunião do Fórum de Governadores com Pazuello, a habilitação de leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) está garantida no Estado, que tem 1.005 vagas desse tipo exclusivamente destinadas ao atendimento de pacientes de Covid.

“Havia uma indefinição sobre a prorrogação da habilitação dos leitos já existentes e sobre a habilitação de novos”, destacou a secretária estadual da Saúde, Arita Bergmann. “O ministro esclareceu que haverá uma mudança no custeio e na forma de pagamento, mas garantiu que a habilitação seguirá sendo feita.”

A diária de um leito de UTI exclusivo para Covid é R$ 1,6 mil. Hoje, o pagamento é feito por 90 dias antes do uso dos leitos. A mudança consiste na quitação após o uso do leito, na medida em que os hospitais registrem a ocupação na Central de Regulação do Estado. O pagamento será no mês seguinte, como ocorre em toda o sistema de alta complexidade da ala hospitalar.

“A habilitação dos leitos, por parte do governo federal, é bastante importante, especialmente no momento em que observamos aumento de internações em leitos clínicos e de UTI nos últimos dez dias”, finalizou Leite. “Pedimos, inclusive, que a população reforce os cuidados de prevenção contra a Covid.”

(Marcello Campos)

Voltar Todas de Rio Grande do Sul