O BRDE oferece um programa especial de financiamento para mulheres empreendedoras

Com o objetivo de apoiar empresas que tenham mulheres no comando, gerar novas oportunidades e reduzir desigualdades de gênero, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) passou a oferecer nesta quinta-feira (25) um programa de crédito especial. O foco é, exclusivamente, o empreendedorismo feminino.

Com possibilidade de financiamento para investimentos fixos e capital de giro, incluindo micro e pequenas empresas, o programa “BRDE Empreendedoras do Sul” vai atender clientes interessadas nos três Estados da Região: Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

Para solicitar o financiamento, as empresas devem acessar o site brde.com.br, no ambiente do internet banking. Todos as operações serão através da plataforma digital e a documentação deverá ser inserida por meio de upload no site. O aplicativo do BRDE também traz as informações sobre o programa.

Além de recursos próprios, a instituição de fomento recorrerá ao funding (captação de recursos para investimento) nacionais e de organismos internacionais para atender a demanda. O programa é direcionado a empresas de diferentes portes que tenham ao menos 50% do seu capital social formado por mulheres.

A oferta de crédito para capital de giro é reservada apenas para pessoas jurídicas e com receita operacional bruta de até R$ 90 milhões no ano anterior ao pedido.

Produtoras rurais poderão acessar as linhas repassadas pelo BRDE através do Plano Safra. Microempreendedoras individuais e pessoas físicas poderão ter o apoio através de parcerias do banco com outras instituições que atuam com programas de microcrédito, como as cooperativas.

“O programa Empreendedoras do Sul significa um grande esforço da instituição, que vai além do seu papel de agente do desenvolvimento do Sul do país. Fomentar o empreendedorismo das mulheres representa um passo importante em termos de inserção social”, definiu a diretora-presidente do BRDE, Leany Lemos.

Ao realizar o anúncio do programa durante as atividades da Semana da Mulher, Leany já antecipava que a oferta exclusiva de crédito teria condições atrativas e por meio de uma análise simplificada dos pedidos de financiamento. “É para que as mulheres tenham do BRDE o efetivo apoio para suas empresas”, destacou.

Por meio do programa, o BRDE se compromete também a reduzir tarifas de análise e fiscalização dos contratos, assim como do percentual de comissão interna. Com isso, o custo final do financiamento ficará, em média, entre taxa Selic mais 4,5% ao ano nos casos de crédito para capital de giro e de Selic mais 4%, quando destinando a investimento fixo.

Possibilidade

Destinado a auxiliar as empresas lideradas por mulheres reorganizarem suas finanças e comprar matéria-prima, por exemplo, o crédito para capital de giro está limitado a 20% do faturamento bruto registrado no ano anterior ao pedido. Para investimento fixo, não há limite determinado no programa.

O valor máximo de apoio será definido a partir do projeto e da capacidade de pagamento calculada pelo banco, permitindo a empresa investimentos de longo prazo, buscando expansão, modernização e inovação da sua atividade, incluindo a produção e o consumo sustentável.

Será possível financiar obras de construção ou reforma, compra de equipamentos nacionais ou do exterior, adaptações de tecnologia e para capital de giro associado ao projeto.

(Marcello Campos)