Novos lotes de vacinas contra o coronavírus também vão contemplar trabalhadores de portos e aeroportos gaúchos

As 353.250 doses da vacina de Oxford recebidas pelo Rio Grande do Sul nesta quarta-feira (26), bem como as 37.440 unidades do fármaco da Pfizer que devem chegar nas próximas horas servirão para avançar na imunização de gestantes e pessoas com comorbidades. Também contemplarão trabalhadores do transporte aéreo e portuário.

Parte das doses serão destinadas ainda para começar a vacinar pessoas com deficiência permanente grave. “Os municípios que completarem a etapa das comorbidades podem ir avançando no grupo das deficiências permanentes”, explica a secretária da Saúde, Arita Bergmann.

A definição foi acertada durante reunião de integrantes da Secretaria Estadual da Saúde (SES) e do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde (Cosems). Já nesta quinta-feira (27), as novas ampolas começam a ser distribuídas para as 18 coordenadorias regionais da SES, que farão o repasse das cotas aos às prefeituras.

Na semana passada, o Estado já havia recebido do Ministério da Saúde 269.100 doses da vacina de Oxford, 39.780 da Pfizer e 188.800 da Coronavac. As ampolas do fármaco chinês (produzido no Brasil em parceria com o Instituto Butantan-SP) foram imediatamente distribuídas aos municípios, com o objetivo de reduzir os atrasos na segunda dose.

Já a remessa de imunizantes de Oxford (fármaco britânico elaborado no País em colaboração com a Fundação Oswaldo Cruz-RJ) permaneceu guardada em estoque. A medida atende à estratégia de garantir quantidade para a segunda injeção, evitando déficits já registrados pela SES.

Ainda no que se refere a esses dois imunizantes, aliás, a Pfizer já ingressou com um pedido à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para que seja flexibilizado o armazenamento do fármaco, incluindo o uso de refrigeradores comuns.

O objetivo é ampliar o período máximo para que as ampolas possam sejam mantidas entre 2°C e 8°C, atualmente fixado em cinco dias. Se receber o sinal-verde da agência, esse prazo passará a ser de um mês, de forma que municípios sem infraestrutura para manter as vacinas sob baixíssimas temperaturas possam receber e aplicar as injeções.

Andamento da campanha

No começo da noite desta quarta-feira, após o encerramento do expediente nos postos e demais locais disponibilizados para imunização nos 497 municípios do Rio Grande do Sul, mais de 3,02 milhões de habitantes do Estado já haviam recebido a primeira dose.

Esse contingente representa 57,5% dos segmentos-alvo (5,21 milhões de habitantes, para uma população geral de 11,3 milhões). Já os contemplados com a segunda injeção, por sua vez, chegam a 1,42 milhão (27,1%). A campanha de imunização começou no dia 19 de janeiro.

(Marcello Campos)