Municípios do Rio Grande do Sul e de outros Estados relatam ter recebido doses a menos da CoronaVac

Municípios do Rio Grande do Sul, Paraná, Goiás e Bahia relataram para as Secretarias Estaduais da Saúde e para a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) que receberam menos doses da vacina CoronaVac do que o previsto.

O problema teria ocorrido na quantidade de doses em cada ampola. Conforme as prefeituras, o número de frascos do imunizante estava correto. No RS, houve reclamações por parte de 127 cidades.

Segundo informações da CNN, em Santa Maria, 3,75 mil doses a menos foram notificadas. Em São Leopoldo, as doses faltantes chegaram a quase 2 mil. Em Porto Alegre, faltaram 1,25 mil doses em frascos de cinco lotes.

Em nota, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) disse que percebeu aumento nas queixas técnicas relacionadas à redução do volume das ampolas e que investiga as ocorrências.

Já o Butantan negou problemas no número de doses por ampola, afirmou que trabalha com extremo rigor técnico e reforçou que cada frasco tem 5,7 ml, volume suficiente para dez ou até 11 doses da vacina. O instituto ressaltou a importância de fazer a aspiração do conteúdo do frasco da forma correta.