Mulher de 77 anos que assinou termo recusando vacina morre de covid no Rio Grande do Sul

Uma mulher de 77 anos que assinou um termo de recusa de vacina contra a covid-19 morreu em decorrência da doença, no último domingo (23), em Esperança do Sul, no Rio Grande do Sul.

O caso foi divulgado no Facebook da prefeitura da cidade, que publicou uma nota dizendo que a mulher, que não teve seu nome divulgado, “optou por não ser imunizada, através da assinatura de um termo de recusa, medida sugerida pela Coordenadoria Regional de Saúde”.

Na publicação, a prefeitura reitera que as vacinas não protegem 100% a pessoa vacinada de se contaminar, “porém previnem que a doença evolua para os casos mais graves, onde exigem internações e que podem levar ao óbito”.

Junto da nota, a prefeitura de Esperança do Sul também publicou uma imagem do termo de recusa, com campos para que a pessoa que não deseje tomar a vacina preencha com nome, número do CPF e assinatura, e que diz: “(…) me recuso a receber a dose da vacina COVID 19 recomendada pelo Ministério da Saúde e me responsabilizo por quaisquer eventos que ocorram em decorrência dessa ação”.

A prefeitura informou que menos de 50 pessoas assinaram termos de recusa de vacina contra a covid-19 no município, que possui 2.885 habitantes, segundo estimativa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Ademir Villers da Cruz, o município faz buscas de “pessoas com a idade ou com comorbidades nas residências para que possam se vacinar. O termo nos ajuda no controle e nos assegura também de, futuramente, a pessoa dizer que não foi comunicada da vacina na sua idade ou no seu grupo”.

Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde diz que não existe uma orientação do governo para o preenchimento de termos de recusa e que a decisão sobre o registro cabe a cada município. “Alguns preferem ter o documento como segurança de que a dose foi oferecida para aquela pessoa e houve a recusa”, disse a pasta.

A prefeitura de Esperança do Sul publicou uma nota em seu Facebook informando que, nesse dia, à tarde, não haveria consultas de rotina no Posto de Saúde da cidade, somente consultas com suspeitas de covid. “Esta medida se faz necessária devido ao grande número de pessoas contaminadas ou com suspeita da doença”, diz a nota.