Homicídios no Rio Grande do Sul caíram 29% em maio, na comparação com o mesmo mês em 2020

Principal indicador da criminalidade no Rio Grande do Sul, as ocorrências de homicídio registraram em maio uma redução de 29%, em comparação com o mesmo mês do ano passado. Foram 125 registros, contra 176 no quinto mês de 2020, de acordo com relatório divulgado nesta quinta-feira (10) pela Secretaria da Segurança Pública (SSP).

Trata-se do sétimo mês consecutivo de queda nesse tipo de crime, se levado em conta o mesmo critério que estabelece um paralelo em períodos correspondentes de anos distintos. Já no acumulado de janeiro a maio, a queda é de 20,2%, com 673 óbitos – nos primeiros cinco meses do ano passado foram 843 registros. Em ambos os indicadores, o resultado é o menor desde 2007.

Ao apresentar os dados, o governo gaúcho atribuiu a diminuição ao programa “RS Seguro”, principalmente. “O foco territorial das ações, com a concentração de esforços no combate ao crime nos locais onde ele mais se faz presente, impacta na diminuição dos indicadores como um todo”, ressalta o site oficial do Palácio Piratini.

Dos 23 municípios priorizados pela iniciativa, 16 fecharam o mês com queda ou estabilidade no número de assassinatos, ao passo que oito encerram maio sem qualquer ocorrência desse tipo: Bento Gonçalves, Cachoeirinha, Capão da Canoa, Farroupilha, Ijuí, Lajeado, Rio Grande e Sapucaia do Sul.

Farroupilha, por sua vez, já está em seu quarto mês consecutivo sem assassinatos. Além disso, o indicador está zerado há dois meses em Capão da Canoa e Lajeado.

Outro destaque é o município de Alvorada, também integrante do bloco e que apresentou a maior retração de homicídios em maio. O número de assassinatos na cidade caiu de 17 no quinto mês de 2020 para quatro em igual período deste ano, o que representa diminuição de 76%. Ou 13 vidas preservadas.

Em Porto Alegre, que lidera o ranking de reduções de homicídios desde o início do ano, o recorde positivo foi mais uma vez quebrado. A comparação do acumulado em cinco meses mostra queda de 18,1% na soma de vítimas de assassinato, de 138 em 2020 para 113 neste ano – o menor total da década. Em maio, houve uma vítima a menos que no mesmo mês de 2020, passando de 27 para 26 (-3,7%).

Latrocínios

Outro crime que apresentou recorde na redução comparativa de maio no Rio Grande do Sul foi o latrocínio (roubo com morte), que atingiu o menor número para o mês em toda a série histórica de contabilização, iniciada em 2002.

Foram registrados três casos em todo o Estado, um a menos (-25%) que no mesmo período do ano passado. A comparação com o pico de ocorrências, justamente no primeiro ano do monitoramento, com 16 casos, o dado atual representa uma redução de 81,3%.

Além do alto índice de elucidação, que nos últimos anos tem se mantido entre 80% e 90% dos casos investigados, o aprofundamento na redução de latrocínios está relacionado com a retração também constante nos crimes patrimoniais como roubo de veículos e ataques a transporte coletivo, geradores dos roubos com morte.

Na leitura acumulada desde janeiro, a soma de latrocínios no Estado também é a menor desde o início da série histórica. O total de delitos em cinco meses baixou de 28, no ano passado, para 25, neste ano, o que representa retração de 10,7%. Frente ao pico de casos entre janeiro e maio, ocorrido em 2016, quando houve 84 roubos com morte, o dado atual significa uma diminuição de 70,2%.

(Marcello Campos)