Governo do Rio Grande do Sul espera receber cerca de 30 mil doses da vacina Pfizer/BioNTech contra o coronavírus em maio

A chegada das primeiras vacinas contra a Covid-19 da Pfizer/BioNTech ao Brasil, prevista para maio, deve reforçar os estoques do Rio Grande do Sul com, pelo menos, 30 mil doses. A projeção foi divulgada, nesta quinta-feira (22), pela SES (Secretaria Estadual de Saúde) – levando em consideração informações do Governo Federal.

Segundo o Ministério da Saúde, o lote deve ser disponibilizado às unidades federativas no início do próximo mês. A data, entretanto, ainda não foi confirmada pela pasta. Em um primeiro momento, apenas Porto Alegre utilizará as doses, já que a fórmula precisa ser armazenada em um “superfreezer” sob temperatura de -80ºC.

Uma equipe do Cevs (Centro Estadual de Vigilância em Saúde) está sendo treinada pelas próprias fabricantes, garantindo a capacidade de manejo e aplicação da vacina em território gaúcho. Segundo os profissionais, as especificações são diferentes das adotadas pelo Instituto Butantan (CoronaVac) e Fiocruz (Oxford/AstraZeneca).

Estudos publicados pela Pfizer/BioNTech demonstram que a fórmula chega a 95% de eficácia em casos leves, moderados e graves da Covid-19. A vacina tem autorização de uso definitivo junto à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), e pode ser aplicada em todas as pessoas com mais de 16 anos.

O laboratório recomenda a aplicação com um conjunto de agulha e seringa chamado de “baixo volume morto”, para ter o menor desperdício possível do líquido e os vacinadores conseguirem extrair todas as seis doses de cada frasco. Para o esquema vacinal completo, serão necessárias duas doses com um intervalo mínimo de 21 dias.