Em um ano, os leilões virtuais do Detran gaúcho registram quase 19 mil itens arrematados

A adoção do sistema on-line para a venda de veículos e sucatas automotivas possibilitou ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran) do Rio Grande do Sul superar dificuldades impostas pela pandemia. Em um ano (completado nesta quinta-feira, 25 de março), a modalidade viabilizou os leilões de 18,7 mil itens retidos administrativamente não reclamados pelos antigos proprietários.

Desse total, 8.158 eram veículos conservados e 10.633 veículos exclusivamente para desmanche e reaproveitamento de peças. As vendas resultaram em arrecadação de R$ 38,7 milhões – maior do que todas as séries anuais já registradas.

Nestes 12 meses, foram realizados 27 certames on-line, promovidos por leiloeiros credenciados. Na modalidade virtual, o leiloeiro realiza o anúncio dos lotes em auditório fechado e é visualizado por meio de vídeo pelos potenciais arrematantes. Os lances são efetuados em uma área específica do site do leiloeiro.

Em razão dos resultados obtidos e da receptividade positiva por parte dos arrematantes e Centros de Remoção e Depósitos, o Departamento deverá manter preferencialmente o formato virtual dos leilões mesmo depois da pandemia.

O diretor-geral do Detran-RS, Enio Bacci, ressaltou que a atual gestão assumiu o compromisso de modernizar e digitalizar serviços, mesmo antes das medidas de isolamento social: “Os leilões virtuais são um exemplo de como temos conseguido encontrar boas soluções, atendendo às demandas de forma inovadora”.

Alerta

A autarquia reforça o alerta à população de que o nome do órgão vem sendo utilizado frequentemente para a prática de crime de estelionato, na tentativa de dar credibilidade a golpes de falsos leilões de veículos.

No mais recente deles, criminosos ofertam e negociam, via redes sociais e aplicativos de mensagens, veículos supostamente “apreendidos”, apresentados como “em perfeito estado” e preço muito abaixo de mercado. Mas que nunca são entregues.

Um perfil de Facebook em nome de estelionatária que se intitula “Diretora Despachante de Veículos Apreendidos do Detran-RS”, cargo que sequer existe. Ela oferece a venda de veículos como se fossem leiloados pelo Departamento.

Afirmando ser funcionária do Centro de Registro de Veículos Automotores de Gramado – informação que também não procede – a golpista também negocia e fecha as vendas fictícias por meio do aplicativo de mensagens WhatsApp. O CRVA da cidade não tem nenhum envolvimento no crime, sendo vítima de divulgação caluniosa, tendo registrado boletim de ocorrência na Polícia Civil.

As pessoas são atraídas por ofertas de veículos muito vantajosas (preços excessivamente abaixo do valor de mercado, financiamentos sem juros etc.) e que expiram muito rapidamente, induzindo a ações impulsivas e impensadas.

Por isso, é muito importante ficar atento. Veja quais os cuidados necessários para não ser uma vítima do golpe do falso leilão:

– Confira sempre no site oficial do DetranRS os próximos eventos > detran.rs.gov.br > menu Veículos > Leilões > Calendário de Leilões;

– Veja nos editais do leilão todos os veículos disponíveis para compra em cada depósito credenciado, seus lances iniciais, o site do leiloeiro oficial e demais informações;

– Se possível, agende uma visita ao depósito (CRD) onde está o veículo para verificar suas condições pessoalmente;

– Participe do leilão na data e horário agendados pelo DetranRS e divulgados no site oficial (detran.rs.gov.br);

– Caso seja atraído por um anúncio, desconfie de sites de leiloeiros que não sejam hospedados no Brasil (sem o final “.br”);

– Nunca negocie diretamente por redes sociais ou aplicativos de mensagens, os criminosos se fazem passar por profissionais de órgãos oficiais para iludir o interessado;

– Pesquise a empresa em sites de reclamação e/ou mídias sociais;

– Suspeite de veículos que pareçam novos ou de concessionárias;

– Não faça transferências bancárias. Nos leilões do Detran-RS, o pagamento do valor de arremate se dá por meio de guia de arrecadação própria (GAD-L), quitada na rede bancária conveniada. Somente o valor da comissão do leiloeiro será paga conforme instruções do profissional (detalhadas sempre no item 9.4 do Edital).

Quem for vítima desse tipo de crime deve comunicar o fato à Polícia Civil, por meio de um boletim de ocorrência. O registro deve ser feito preferencialmente pela internet, por meio da Delegacia Online, ou presencialmente em uma Delegacia de Polícia.

(Marcello Campos)