Em reunião com o governo do Estado, associações de município pedem por continuidade da manutenção da cogestão

O governador Eduardo Leite se reuniu com prefeitos para tratar sobre medidas de enfrentamento à pandemia. (Foto: Felipe Dalla Valle/ Governo do Estado do Rio Grande do Sul)

Os representantes das associações de municípios do Rio Grande do Sul pediram pela manutenção da cogestão do sistema do Distanciamento controlado contra o coronavírus no encontro que aconteceu nesta segunda-feira pela manhã com o governador Eduardo Leite. O executivo só vai tomar a decisão final após a conferência com o gabinete de crise. Leite chegou a falar em incluir mais restrições caso a opção seja pela continuidade do modelo compartilhado de gestão de protocolos contra o coronavírus.

O prefeito Sebastião Melo sustentou o pedido pela manutenção do Plano de Cogestão Regional, formado em janeiro por Porto Alegre e mais quatro municípios da Região Metropolitana. Além de reforçar a defesa da manutenção do comércio aberto na Capital, Melo solicitou a inclusão da educação na pauta da cogestão, para que os municípios possam debater a reabertura das escolas.

“Queremos participar da tomada de decisão nos diferentes aspectos de enfrentamento da pandemia. Tenho convicção de que não é o comércio regular, respeitando os protocolos, que agravam a situação da pandemia. São as aglomerações irresponsáveis que agravam o problema de saúde pública. Porto Alegre tem feito todo o possível para coibir essas aglomerações e estamos abrindo leitos. Não vamos recorrer da bandeira preta porque acreditamos na cogestão”, manifestou o prefeito, que segue no início da tarde para vistoria no Hospital Parque Belém, para avaliar a possibilidade de abertura de leitos na instituição.

Além do apoio dos demais prefeitos das associações municipais, nas manifestações durante a reunião virtual, ao longo do fim de semana diversos segmentos reforçaram a crença na cogestão através de posicionamentos públicos: Associação de Escolas Privadas de Educação Infantil do RS, Sindicato Intermunicipal dos Estabelecimentos de Educação Infantil do RS e Ciranda Rede de Escolas Infantis; Sindicato dos Clubes Esportivos do RS (Sincergs); manifesto conjunto de 17 vereadores municipais e documento de 40 entidades representativas do setor produtivo e comércio da Capital.

Após a fala dos prefeitos, Leite fez um apelo caso o modelo de cogestão seja mantido. “Eu concordo que não podemos punir a economia e por isso criamos o sistema de Distanciamento Controlado, mas o que estamos vendo agora é uma situação fora do comum”, disse. O governador comentou que se a decisão pela cogestão for mantida será preciso discutir outros tipos de restrição, de horários.

Voltar Todas de Rio Grande do Sul