Em aula inaugural do curso superior da Brigada Militar, o governador gaúcho disse que os recursos humanos representam o maior investimento do Estado na segurança pública

O governador gaúcho Eduardo Leite abriu, na manhã desta terça-feira (20), a aula inaugural virtual do Curso Superior de Polícia Militar (CSPM) de 2021. Em discurso para 138 alunos, ele ressaltou que os recursos humanos representam o maior investimento do Estado na área da segurança pública.

Na sequência, o vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior, apresentou o programa “RS Seguro” aos cadetes que, após a formatura, no ano que vem, serão capitães do quadro de oficias do Estado-Maior da Brigada Militar (BM).

Todos os alunos-oficiais são bacharéis em Direito (pré-requisito para ingresso na carreira de nível superior da Brigada Militar) e eram aguardados após longo período de concurso público, iniciado em 2018. As aulas começaram no dia 12 de abril na APM (Academia de Polícia Militar), junto ao complexo do Departamento de Ensino, em Porto Alegre, seguindo protocolos de segurança e saúde.

Devido à pandemia, muitas adequações foram feitas para possibilitar e preservar a segurança dos alunos e seus coordenadores durante a formação do CSPM 2021, como é o caso dos alojamentos de pernoite para alunos, que serão restritos para aqueles que irão atuar nas escalas de serviço na Academia de Polícia Militar.

As atividades presenciais têm um limite de 20 alunos por sala, e todos (inclusive instrutores e coordenadores) fazem uso obrigatório da máscara, bem como medição de temperatura diária antes do início das aulas.

Os Departamentos de Saúde e de Ensino da BM também estarão empenhados no monitoramento das medidas preventivas à Covid-19 e dos procedimentos para o caso de algum dos envolvidos apresentarem sintoma, com afastamento imediato para testagem, mantendo contato diário com o Gabinete de Crise Covid-19 da corporação.

Ao se apresentarem para inclusão, todos os cadetes receberam um folder com orientações e fizeram o teste para coronavírus, com 100% dos resultados negativos. Antes do início das aulas, todos foram novamente testados.

O governo gaúcho tem dado sequência à formação e ao chamamento de 1,8 mil novos servidores das instituições vinculadas às secretarias da Segurança Pública e da Administração Penitenciária, conforme cronograma de reposição e manutenção do efetivo, apresentado em novembro de 2019.

Discursos

“A Brigada Militar é uma instituição com 183 anos que orgulha o Rio Grande do Sul não só ao longo da sua história, mas no presente, com ações que têm permitido estarmos vivenciando reduções expressivas nos diversos indicadores criminais, sejam patrimoniais ou contra a vida”, iniciou o governador. Ele acrescentou:

“E sabemos que a segurança é necessária para que se desenvolva a sociedade que desejamos e o Estado acolhedor e competitivo que queremos. Para isso, a Brigada Militar é extremamente importante, com suas ações de enfrentamento à violência e presença nas cidades, para que os 11 milhões de gaúchos possam conviver num mesmo território”.

Ainda segundo ele, o Palácio Piratini tem investido muito em viaturas, equipamentos e tecnologia para reforçar a segurança. “Mas vocês são nosso maior investimento: pessoas”, prosseguiu. “Desenvolvemos um cronograma para incorporação de forma planejada ao longo do mandato para manter e reforçar nossos efetivos, implementar novos batalhões de choque e garantir que nenhum município gaúcho tenha menos do que cinco PMs;”

Já o comandante-geral da BM, coronel Vanius Santarosa, frisou em seu pronunciamento: “Onde os senhores [alunos] estão sentados hoje, eu também estive por quatro anos. “Preparem-se, assimilem a maior quantidade de conhecimento possível, simulem operações, situações e possíveis ações que venham enfrentar. Isso servirá de base para toda a carreira de vocês”.

(Marcello Campos)