Eduardo Leite diz que vacinação no RS pode começar no dia 21

O governador Eduardo Leite afirmou neste domingo (17), pelo Twitter, que a vacinação no Rio Grande do Sul pode começar na próxima quinta-feira (21). Segundo Leite, ainda na segunda-feira (18) deve começar a distribuição da primeira leva aos Estados.

Eduardo Leite fez as afirmações em meio à reunião da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para aprovação das vacinas CoronaVac, do Butantan em parceria com a farmacêutica Sinovac, e da vacina da Fiocruz, desenvolvida em parceria com o laboratório AstraZeneca e Universidade de Oxford.

“Brasil acompanha com expectativa a aprovação pela Anvisa das vacinas do Butantã (coronavac) e da Fiocruz (Oxford). Amanhã [segunda] mesmo deve começar a distribuição da primeira aos estados. Vacinação, assim, possível de ser iniciada até o dia 21 (talvez 20). O RS está pronto! #vacinaJÁ”, escreveu o governador.

“Nossa rede de frios, a logística de distribuição para as coordenadorias regionais de saúde, as seringas agulhadas… tudo pronto para o início da imunização no estado”, seguiu Leite.

Por fim Eduardo Leite cumprimentou o governador João Doria Junior, por viabilizar a parceria internacional do Butantan, e o Ministério da Saúde, por fazer a parceria com a Fiocruz e Oxford/Astrazeneca, levando duas vacinas aos Estados. Depois, saudou a ciência e os cientistas.

Coronavírus no RS

O Rio Grande do Sul registrou neste domingo (17) 1.871 novos casos da Covid-19 e foram confirmados mais 45 óbitos. O total de casos confirmados é de 506.885 e o de óbitos, 9.921. Os recuperados são 479.262 (95% dos casos). 

Câmaras frias

A SES (Secretaria da Saúde) informou na sexta-feira (15) que distribuiu, desde dezembro, 43 novas câmaras frias para a conservação de vacinas às 18 coordenadorias regionais, antecipando a logística para a vacinação contra a Covid-19 neste ano. Ao todo, são 96 equipamentos em funcionamento em todas as regionais da SES, cobrindo todos os municípios do RS. Somada à estrutura da Ceadi (Central Estadual de Distribuição e Armazenamento de Imunobiológicos), em Porto Alegre, a capacidade total de armazenamento é para até 10 milhões de doses.

Apesar desse porte, a previsão é que esse volume não precise ser alcançado, já que são previstos lotes em menor quantidade e que pouco ficarão armazenados, sendo de imediato distribuído aos municípios. A capacidade também garante a sequência, em paralelo, do atendimento da rede às demais vacinas e imunobiológicos previstos nos calendários de vacinação de crianças e adultos.

Assim que as doses chegam ao Estado, seguem para a Ceadi. No local, é feita a separação para as regionais, de acordo com critérios populacionais dos grupos a serem vacinados e de acordo com o volume recebido. Do local, partem os caminhões para as 17 regionais do interior, para a regional com sede na capital e para a central de armazenamento da Secretaria de Saúde de Porto Alegre.

Com o objetivo de garantir agilidade ao processo, também estão previstas entregas diretas para os dois maiores municípios de cada regional. Assim, o cronograma seria de 55 destinos para o envio: 18 coordenadorias e 37 municípios. Os municípios que não receberem diretamente o seu lote, farão a retirada na regional de sua abrangência de acordo com a agenda programada.