Declamadora Liliana Cardoso será a patrona dos Festejos Farroupilhas deste ano

Realizado anualmente em setembro e um dos itens mais tradicionais do calendário de eventos do Rio Grande do Sul, a Semana Farroupilha de 2021 já tem a sua patrona: a declamadora Liliana Cardoso. O anúncio foi feito pela titular da Secretaria Estadual da Cultura (Sedac), Beatriz Araujo, durante encontro da comissão dos festejos temáticos.

Natural de Porto Alegre, Liliana tem 43 anos e também atua como radialista, apresentadora, mestre de cerimônias, ativista cultural e vice-presidente do Conselho Estadual de Cultura. Com a sua escolha pelo colegiado do evento, será também a primeira mulher negra a receber a homenagem.

Como declamadora, foi cinco vezes campeã do Encontro de Artes e Tradição Gaúcha e bicampeã do Rodeio Internacional de Vacaria. Por três vezes, recebeu o prêmio Vitor Mateus Teixeira e a Medalha do Mérito Farroupilha, honraria concedida pela Assembleia Legislativa, maior honraria do Parlamento gaúcho.

Antes da chegada da pandemia, ela vinha percorrendo diversos Estados com o projeto “A Arte de Declamar no Gauchismo”. Realizada por meio de uma parceria com o pai, José Luiz Rodrigues dos Santos, a iniciativa tem por objetivo divulgar a cultura gaúcha fora das fronteiras do Estado.

Liliana, que durante mais de 20 anos apresentou em Porto Alegre o Desfile Farroupilha (20 de setembro), dimensiona a importância da missão conferida a ela: “Ser patrona dos Festejos Farroupilhas 2021 é a retaguarda de que nós, mulheres, podemos.”

“Ela sido uma personagem muito importante nos Festejos Farroupilhas ao longo dos anos”, elogiou a secretária da Cultura ao revelar o nome da patrona. “E é maravilhoso poder oferecer, em 2021, essa homenagem a uma figura que faz tanto pela cultura do Estado.”

Ainda não se sabe, entretanto, se o evento terá a sua realização presencial retomada neste ano, devido às diretrizes de prevenção ao contágio pelo coronavírus. A pandemia fez com que a edição do ano passado fosse adaptada para o formato virtual, com uma série de eventos on-line.

Relevância

Liana Cardoso também enaltece a representatividade do gênero: “Somos a diversidade cultural, o campo e a cidade, as mulheres que na Revolução Farroupilha ficaram no campo enriquecendo este Estado para que hoje possamos dele usufruir. Como mulher negra, eu também carrego a representatividade dos Lanceiros Negros, que foram linha-de-frente na revolução, e das mulheres negras, que ficaram no campo gerando renda”.

Ela encerrou o seu discurso definindo: “Ser patrona é ter a certeza de que, onde minha mãe estiver, estará feliz porque passou uma vida me acompanhando para forjar a Liliana Cardoso que sou hoje. Na próxima reencarnação, se houver, quero voltar como mulher negra, declamadora e gaúcha”.

(Marcello Campos)