Com quase 25 milhões de toneladas, a safra gaúcha de verão deve ter crescimento de 59%

Com 24,6 milhões de toneladas, o Rio Grande do Sul deve ter nesta safra de verão 2020/2021 uma colheita 59,2% maior que na anterior (2019/2020). Segundo a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), o destaque é a soja, passando de 11,2 milhões para 20,2 milhões de toneladas – uma alta de quase 80% na produtividade.

“O rendimento projetado é de 3,32 toneladas por hectare, em uma área que totaliza 6 milhões de hectares, apenas 1,56% maior que no ano anterior”, projeta a Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) em relatório divulgado nesta quinta-feira (25) junto com a Emater-RS.

Mais de 270 pessoas acompanharam a apresentação, detalhada por meio de coletiva virtual de imprensa por meio de transmissão na rede social Facebook e no site de vídeos Youtube. Participaram do evento o titular da pasta, Covatti Filho e o presidente da Emater-RS, Geraldo Sandri,, além de extensionistas e representantes de entidades do setor agropecuário.

Safra excepcional

Para o secretário Covatti, o Rio Grande do Sul tem sido um dos principais Estados na produção do setor. “É uma alegria apresentarmos esses números tão significativos, pois estamos batendo recordes e temos muito bons relatos da colheita”, ressaltou. Ele também chamou a atenção para a importância de fortalecimento do agronegócio, “que está dando respostas positivas nesse momento de pandemia”.

Geraldo Sandril, por sua vez, enalteceu “os números expressivos que se refletirão na vida dos gaúchos”. Ele elogiou a parceria com as diretorias da Seapdr, liderada pelo secretário Covatti, defensor da Emater”. Também parabenizou agricultores, pecuaristas e entidades parceiras da agropecuária, além de pesquisadores e diretores de entidades.

“As políticas públicas que chegam até as propriedades rurais através da Assistência Técnica e Extensão Rural e Social (Aters) da qual representamos, dão vazão aos serviços pelos quais somos contratados”, prosseguiu.

De acordo com o diretor técnico da Emater/RS, Alencar Rugeri, a safra deste ano está “excepcional”. Os dados apresentados foram coletados na primeira quinzena de março.

“É importante ressaltar que estão baseados na tendência apresentada pelas produtividades médias municipais registradas nos últimos dez anos e, por isso, estão muito acima do resultado obtido na última safra, prejudicada pela estiagem”.

Estimativas finais

– Soja
Área: 6 milhões ha (+1,56%)
Produção: 20,20 milhões ton (+80,02%)
Produtividade: 3,32 ton/ha (+76,63%)

– Milho Grão
Área: 796,2 mil ha (+5,9%)
Produção: 4,32 milhões ton (+4,16%)
Produtividade: 5,43 ton/ha (-2,97%)

– Feijão 1ª safra
Área: 37,4 mil ha (+1,23%)
Produção: 51,5 mil ton (-4,87%)
Produtividade: 1,37 ton/ha (-6,34%)

– Feijão 2ª safra
Área: 23,4 mil ha (+0,82%)
Produção: 31,5 mil ton (+19,80%)
Produtividade: 1,34 ton/ha (+14,1%)

– Milho Silagem
Área: 351,8 mil hectares (-0,66%)
Produção: 9,82 milhões ton (+8,84%)
Produtividade: 27,9 ton/ha (+9,33%)

(Marcello Campos)