Chega a 21.538 o contingente de gaúchos mortos por coronavírus. Testes positivos totalizam quase 880 mil

O Rio Grande do Sul registrou 4.608 novos casos de coronavírus e mais 277 mortes provocadas pela doença, de acordo com balanço divulgado nesta quinta-feira (8) pela Secretaria Estadual da Saúde (SES). Com a atualização estatística, já são 879.263 testes positivos em quase 13 meses de pandemia, com 21.538 perdas humanas.

Dentre os gaúchos infectados durante esse período, ao menos 843.500 (96%) já estão recuperados da doença após cumprir o período de quarentena domiciliar (mesmo sem sintomas) ou internação hospitalar. A taxa geral de ocupação dos leitos de unidade de terapia intensiva (UTI), por sua vez, está em aproximadamente 95%.

Vacinação

No começo da noite desta quinta, o Palácio Piratini divulgou informação ressaltando que o Rio Grande do Sul é lidera o ranking dos Estados no que se refere à cobertura proporcional de sua população pela primeira dose de vacina contra o coronavírus. O índice é de quase 14%, pois 1,55 milhão dos 11,3 milhões de gaúchos foram contemplados.

Já a segunda injeção foi aplicada a 340.046 pessoas, praticamente 3% do total de habitantes. A estatística consta no levantamento do consórcio de veículos de imprensa, que tem por base dados das Secretarias Estaduais de Saúde.

Na contagem nacional, o consórcio aponta que um há um total de 22.170.108 pessoas em todo o País que receberam a primeira dose, o que representa 10,47% da população brasileira. Destas, 6.357.779 receberam a segunda dose, ou seja, 3% dos brasileiros.

O mapa da vacinação do governo gaúcho, atualizado em tempo real com dados abastecidos pelos próprios municípios, mostra ainda que o Rio Grande do Sul recebeu até agora 2.861.600 de doses das quais 2.844.999 foram distribuídas às prefeituras. As poucas doses que não foram encaminhadas (cerca de 0,6%) servem como reserva técnica para casos de avarias ou perdas. Do total distribuído, pelo menos 68% já foi aplicado.

“Estar em primeiro lugar como o Estado que mais vacinou é motivo de muita comemoração, porque significa que é uma vitória do coletivo”, destacou a secretária da Saúde, Arita Bergmann. “Essa é uma vitória desde a equipe que vai ao aeroporto buscar as vacinas até aqueles que registram a aplicação da dose no sistema. Acima de tudo, é uma vitória da população, porque estar imunizado é, sem dúvida, uma oportunidade de proteção da vida.”

Ainda de acordo com Arita, a Secretaria da Saúde não retém ou estoca vacinas e segue à risca as orientações do Plano Nacional de Imunizações quanto à destinação de cada remessa.

Novo lote

Na manhã desta quinta-feira (8), o Rio Grande do Sul recebeu um novo lote com 301.555 de vacinas, sendo 141.800 doses da Coronavac, que serão todas destinadas a atender a segunda dose de idosos já imunizados com a mesma marca, em lotes anteriores, e 159.750 da Oxford/Astranezeca, que servirá para iniciar a aplicação da primeira dose de pessoas de 64 anos e, parcialmente, a faixa de 63 anos.

Outra parte da remessa será usada para a continuidade da aplicação da primeira dose do grupo das Forças de Segurança e Salvamento e das Forças Armadas.

(Marcello Campos)