Cadeia produtiva da moda representa 7,1% do total de empregos formais no Rio Grande do Sul

Cadeia produtiva que está na raiz da industrialização do Rio Grande do Sul e engloba um universo de 32,5 mil empresas responsáveis pela geração de 238 mil postos de trabalho, a indústria da moda segue em papel de destaque na economia gaúcha.

Um estudo inédito sobre o setor elaborado pela Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão mostra que o segmento da chamada economia criativa representava 7,1% do total de postos de trabalho formais e 7,3% das unidades produtivas do RS em 2018, além de ser a área de trabalho de 83,05 mil profissionais que atuam como microempreendedores individuais.

A divulgação, nesta quinta-feira (29), da pesquisa “A cadeia produtiva da moda no RS: trajetória e tendências”, elaborada por Tarson Nuñez, do Departamento de Economia e Estatística, dá sequência aos trabalhos desenvolvidos em parceria com a Secretaria da Cultura para subsidiar o RS Criativo, programa criado para fortalecer a economia criativa do Estado.

No levantamento, Nuñez utilizou como referência os dados disponibilizados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) do período entre 2006 e 2018 sobre o mercado da cadeia têxtil-vestuário, que inclui as atividades de fiação e tecelagem, de confecções, do setor coureiro-calçadista e do comércio.