Aumento de internações por Covid-19 e espera por leito de UTI acende o alerta em Caxias do Sul

Diante de novo aumento de atendimentos por síndrome gripal ou Covid-19, internações por Covid-19 e espera por leito de UTI, a prefeitura de Caxias do Sul, na Serra gaúcha, reforça o alerta para que a população mantenha e reforce todos os cuidados para a prevenção ao coronavírus.

Em coletiva de imprensa, transmitida ao vivo pelo Facebook na tarde desta sexta (21), o prefeito Adiló Didomenico, a vice-prefeita, Paula Ioris, a secretária de Saúde, Daniele Meneguzzi, o presidente da Câmara de Vereadores, Velocino Uez, e a representante da Associação Médica do Rio Grande do Sul, Dilma Tessari, fizeram um apelo à população para que reforcem os cuidados.

O prefeito afirmou que, se necessário, medidas mais restritivas serão tomadas novamente. “Nós queremos evitar o fechamento, mas se não estivermos juntos, comprometidos, é muito provável que, ainda neste final de semana, tenhamos que aplicar decretos mais restritivos. Depende muito de nós, do nosso engajamento. Não dá para facilitar”, alertou.

Neste sábado (22), ele participa de reunião com prefeitos da Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste para tratar sobre a situação da Covid-19 na região. “Nosso apelo para a comunidade é que estejamos todos unidos. Apelamos para os cuidados básicos. Temos pessoas na rua que não usam máscaras ou que não respeitam a regra de uma pessoa por família no supermercado. Estamos falando de coisas práticas”, complementou a vice-prefeita Paula.

A fila de espera por leito de UTI SUS, que no início de maio teve leve queda, embora a lista nunca tenha zerado, voltou a aumentar nos últimos dias. Na segunda-feira, a espera chegou a 31 pessoas e, nesta quinta-feira, era de 26. As solicitações de internações por covid-19 subiram cerca de 10% desde a metade de maio. A situação não é diferente nos pronto-atendimentos. Na UPA Central e na tenda montada junto à UPA Zona Norte houve aumento médio de 30% de atendimentos de casos de síndrome respiratória e de covid-19 nas últimas duas semanas. O aumento no volume de consultas pode se refletir em um novo pico de atendimentos. Na UBS São Vicente, que é ponto de apoio para casos de síndrome gripal e suspeitos de covid-19, o número de consultas na última semana dobrou em relação ao final de abril.

As hospitalizações de pessoas de faixas etárias mais baixas também têm aumentado gradualmente e que preocupa. Entre a segunda semana de janeiro e a metade de abril houve aumento de 533% na faixa etária de 30 a 39 anos. “São dados que nos provam que não podemos de forma alguma baixar a guarda para o vírus. Como as pessoas estão circulando, é fundamental que haja extremo zelo com as medidas de prevenção para que o município não volte a enfrentar uma situação como a registrada em março. Também lembramos que, embora a vacinação esteja avançando, ainda é muito cedo para deixar os cuidados de lado”, salienta a secretária municipal Daniele Meneguzzi.

A médica Dilma Tessari salientou a importância de fazer as duas doses da vacina. Ela explica que, com a vacina, as pessoas ainda podem se contaminar, mas na maioria não se tornam casos graves. “Muitas pessoas questionam se devem fazer, e se a segunda dose é necessária. Faço aqui um forte estímulo para as pessoas fazerem a segunda dose”.

Campanha “Te Cuida Caxias do Sul”

Como forma de sensibilizar a população, a prefeitura lançou durante a live a campanha “Te Cuida Caxias do Sul”. O presidente da Câmara, Velocino Uez, reforçou o pedido para que as pessoas encarem a doença com seriedade por si e pelos outros. “Nos ajudem, porque vocês colocaram nós aqui, assumimos o compromisso. Temos que andar. Mas sozinhos não somos ninguém”, resumiu.

A secretária Daniele finalizou com um desabafo e um apelo: “Com toda a nossa dedicação como profissionais de saúde, na linha de frente, há quase um ano e meio, para nós, perder um paciente, perder um cidadão, é uma dor imensurável. Em Caxias, quase mil famílias já perderam um ente querido. Te cuida, Caxias do Sul. Te cuida por ti e por todos nós”.

Mesmo com sintomas leves, recomendação é de que se faça o teste.

Outro fator essencial para frear o avanço da pandemia é o isolamento de qualquer paciente com a doença para evitar que ela seja propagada. Isso inclui aqueles com sintomas leves, explica a médica Anelise Kirsch, infectologista do Controle de Infecção Municipal. “Em 80% dos casos, a pessoa vai ter sintomas leves. É importante testar porque uma pessoa que ignorar os sintomas leves poderá estar com covid e passar para outras pessoas. E isso poderá significar uma internação, até mesmo em UTI” alerta.

Testagem é gratuita para quem apresentar sintomas

O município dispõe de testes rápidos em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs), mas a procura tem sido baixa. Pessoas que apresentarem pelo menos dois dos seguintes sintomas devem procurar uma UBS para fazer o teste: febre, calafrios, dor de garganta, dor de cabeça, tosse, secreção nasal, perda de paladar ou olfato e diarreia. Em idosos observam-se também desmaios, sonolência excessiva, confusão mental e fraqueza. Já em crianças é importante observar constipação nasal e batimento das asas do nariz (alargamento e abertura das narinas durante a respiração).

O teste rápido tem eficácia entre o primeiro e 10º dia de sintomas. Para casos agudos, a UBS São Vicente é a referência de segunda a sexta-feira das 7h30 às 20h. Após esse horário e aos finais de semana, as pessoas com quadros agudos devem procurar uma UPA.