Atividade industrial gaúcha inicia o segundo trimestre em queda

O IDI-RS (Índice de Desempenho Industrial), divulgado pela Fiergs (Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul) na quarta-feira (02), recuou 1% em abril na comparação com março.

Essa foi a terceira queda seguida do índice, totalizando uma perda de 2,1% nesse período. Apesar disso, o IDI-RS de abril está 4,8% acima do registrado em fevereiro de 2020, patamar anterior à pandemia de coronavírus.

“Essa desaceleração já era esperada, na medida em que a indústria completa um ciclo de recomposição de estoques e o impacto positivo da demanda reprimida começa a enfraquecer”, afirmou o presidente da Fiergs, Gilberto Porcello Petry.

Ele explicou que a escassez e a elevação dos custos dos insumos e matérias-primas são, atualmente, os principais limitadores do desempenho do setor em meio à crise sanitária e à diminuição dos auxílios governamentais.

Dos seis componentes, a queda do IDI-RS foi puxada por três: compras industriais, com recuo de 9,1%; faturamento real, com queda de 4,5%; e horas trabalhadas na produção, -1,5%. Apenas a massa salarial real teve um leve aumento, de 0,3%, enquanto o emprego e a UCI (utilização da capacidade instalada), que atingiu 82,3% em abril, ficaram estáveis.

Apesar disso, em um cenário esperado de normalização gradual na cadeia de suprimentos, o presidente da Fiergs acredita serem positivas as perspectivas para a indústria gaúcha. Essa expectativa é ancorada em diversos fatores, como a reabertura das atividades econômicas, a redução do isolamento social, o aumento da demanda externa e a grande safra agrícola nacional.