Assembleia Legislativa instala Frente Parlamentar para estimular a doação de órgãos no RS

Em solenidade virtual, foi instalada na Assembleia Legislativa nesta quarta-feira (31) a Frente Parlamentar de Estímulo à Doação de Órgãos, presidida pela deputada Franciane Bayer (PSB). A instalação foi feita, na sala da Presidência, pela deputada Zilá Breitenbach (PSDB), representando a Mesa Diretora. O deputado Beto Fantinel (MDB) também participou presencialmente.

Franciane Bayer destacou o trabalho e a parceria do ex-deputado Fábio Branco (MDB), hoje prefeito de Rio Grande, que presidiu a Frente Parlamentar até o final de 2020. “Nossa prioridade é continuar o trabalho de conscientização para a doação de órgãos, em especial no núcleo familiar, que é quem acaba autorizando ou não a doação”, explicou. A parlamentar destacou o aumento do número de doadores e de recursos para o SUS nessa área como os principais desafios a serem vencidos. Também falou das dificuldades impostas pela pandemia de Covid-19, que fez com que muitos dos transplantes eletivos tivessem que ser suspensos.

Representando os pacientes que aguardam a doação, Bárbara Goettems, da ONG Viva Vida e Doe Órgãos, também lamentou que, com a pandemia, houve um longo período sem a realização de transplantes. Afirmou que o Sim dado à doação não muda apenas a vida de quem recebe o órgão, mas de toda a família daquela pessoa que está na fila aguardando um transplante.

Falando pelos pacientes transplantados, o pastor Daner Trindade contou que ficou sete anos fazendo diálise a espera de um rim e que há quatro anos conseguiu fazer o transplante. Relatou a aflição vivida por quem está na fila aguardando o transplante e que a pandemia agravou ainda mais essa situação. Defendeu ainda que seja dada prioridade na vacinação contra o Covid-19 a pacientes que aguardam o transplante e pacientes renais.

Zilá Breitenbach, que também preside a Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Casa, lembrou que a Frente Parlamentar começou por proposição do ex-deputado Adilson Troca (PSDB), posteriormente Fábio Branco assumiu os trabalhos e agora Franciane Bayer irá conduzir o órgão. “Isso mostra que as ações que são implementadas nesta Casa têm uma continuidade. E a doação de órgãos é um trabalho que não tem fim”, afirmou.

A deputada federal Liziane Bayer, representando a Câmara dos Deputados, também ressaltou que muitas recusas por parte dos familiares acontecem pelo fato do potencial doador não deixar claro o seu desejo ainda em vida. “Por isso quero parabenizar a iniciativa da deputada Franciane, que através da Frente irá conscientizar a sociedade para a importância do tema, pois a falta de informação é um agravante para negativa”, destacou. Ela também colocou seu mandato à disposição em Brasília e relatou que a manutenção dos programas de transplantes tem sido um desafio.

Por fim, a coordenadora da Central de Transplantes do RS, Sandra Lúcia Coccaro de Souza, fez um relato sobre os transplantes durante a pandemia. “Com muita tristeza estamos vivendo um momento muito ruim dentro da Central de Transplante, pois por conta da pandemia tivemos reduções significativas”.

Ainda participaram o prefeito de Rio Grande, Fábio Branco, o ex-deputado federal e presidente do Instituto Pietro – Doe Medula, Beto Albuquerque, além de representantes do Ministério Público, da Defensoria Pública, da Sociedade Brasileira de Nefrologia, de entidades e ONGs ligadas à doação de órgãos.