Assaltantes invadem agência bancária em Porto Alegre durante a madrugada e rendem funcionários antes do expediente

A Polícia Civil gaúcha investiga um assalto cometido na agência do Banco do Brasil da avenida Nilo Peçanha (bairro Bela Vista), na Zona Norte de Porto Alegre, por volta das 9h desta quinta-feira (18). O ataque foi cometido por uma quadrilha ainda não identificada, mediante um planejamento bastante elaborado para esse tipo de ação.

Os criminosos acessaram o estabelecimento durante a madrugada, por meio de uma casa comercial anexa, onde anteriormente funcionava uma loja de tapetes orientais. No segundo andar do imóvel, localizado à esquerda da agência, conseguiram abrir na parede uma passagem até o banco – sem que fosse acionado o alarme.

Eles aguardaram ali a entrada funcionários, que foram sendo rendidos e imobilizados assim que chegavam para trabalhar, inclusive os vigias. Em seguida, recolheram celulares e roubaram da agência uma quantia não informada em dinheiro, para então escapar do local antes do horário de atendimento aos clientes (10h).

Ninguém se feriu, restando apenas o grande o susto dos bancários e seguranças em serem surpreendidos no interior do próprio estabelecimento por um grupo que já estava ali escondido sem que ninguém desconfiasse.

Ao longo do dia, a agência permaneceu fechada para a realização do trabalho de agentes do Instituto-Geral de Perícias (IGP) da Polícia Civil, que também recorrerá a imagens de câmeras de segurança e outros recursos para tentar identificar a autoria do crime. Ao que tudo indica, pelo menos quatro indivíduos participaram do arrombamento seguido de assalto a banco.

Receptação

Já na Ilha do Pavão (Região Metropolitana de Porto Alegre), uma mulher foi presa em flagrante por receptação, após o recebimento de informações pela 2ª Delegacia de Homicídios e Pessoas Desaparecidas (DHPP) e Delegacia de Repressão ao Roubo e Furto de Cargas (DRFC). Ela escondia em uma casa uma carga roubada horas antes na capital gaúcha.

No local havia uma série de itens identificados como oriundos do assalto, além de outros objetos de origem suspeita. Já em uma casa ao lado, foi encontrada uma caixa de papelão com etiquetas identificadoras, possivelmente obtida no mesmo ataque.

Próximo dali, uma outra suspeita ateava fogo a diversas caixas de papelão, em uma suposta tentativa de ocultar indícios e provas de um roubo cometido na semana passada.

Diante dos fatos, a mulher, sem antecedentes policiais, que ocultava os bens roubados foi presa em flagrante e liberada, para responder ao processo, após o pagamento da fiança arbitrada no valor de R$ 10 mil. Ele é companheira de um homem que já é alvo de investigação e indiciamento por envolvimento em roubos de carga.

(Marcello Campos)