A pandemia de coronavírus já infectou quase 603 mil gaúchos. Óbitos se aproximam de 11.800

Boletim deste domingo informa vítimas com idades entre 32 e 95 anos. (Foto: EBC)

A mais recente atualização epidemiológica fornecida pela Secretaria Estadual da Saúde (SES) oficializou neste domingo mais 1.722 testes positivos e 18 mortes à estatística do coronavírus no Rio Grande do Sul. Com isso, já são 602.668 casos confirmados e 11.753 desfechos fatais doença desde o início da pandemia, há quase um ano.

Os recuperados, por sua vez, são 575.190 (95%). E os infectados atualmente sob monitoramento pelas autoridades de saúde do Estado somam 17.364 (3%) – contingente que inclui desde os assintomáticos cumprindo quarentena domiciliar até os pacientes em situação mais grave, internados em UTIs.

Cabe ressaltar que os números de casos e óbitos deste domingo estão bastante abaixo da quantidade informada pelos boletins diários das últimas semanas. Trata-se, porém, de uma defasagem típica dos fins de semana e feriados.

Isso acontece porque diversos hospitais e Secretarias Municipais de Saúde costumam atrasar o envio das informações ao governo do Estado, por não terem expediente de plantão. Os dados acabam então represados até a divulgação na segunda ou terça-feira – não por caso, o dia da semana com estatísticas mais “encorpadas”.

Confira, a seguir, a lista de perdas humanas mais recentes por Covid no Rio Grande do Sul. O perfil resumido indica a cidade de residência (e não do óbito), gênero (feminino ou masculino) e idade, com vítimas entre 32 e 95 anos.

Apesar desse abrangência etária, o predomínio de idosos entre os óbitos continua inalterado: dos 18 novos falecimentos, apenas cinco não se enquadram no perfil etário de 60 anos ou mais, o que representa menos de 28%.

– Barão (mulher, 80 anos);
– Barra do Ribeiro (homem, 82 anos);
– Canoas (mulher, 54 anos);
– Caxias do Sul (homem, 32 anos);
– Cerrito (homem, 73 anos);
– Cruz Alta (homem, 75 anos);
– Estrela (homem, 42 anos);
– Morro Redondo (homem, 84 anos);
– Passo Fundo (mulher, 61 anos);
– Porto Alegre (homem, 64 anos);
– Porto Alegre (homem, 75 anos);
– Porto Alegre (mulher, 67 anos);
– Santa Cruz do Sul (mulher, 90 anos);
– Santa Maria (mulher, 72 anos);
– São Gabriel (mulher, 95 anos);
– Sapiranga (mulher, 52 anos);
– Seberi (mulher, 37 anos);
– Tapera (mulher, 73 anos).

Ampliação de leitos

A prefeitura de Porto Alegre informou neste domingo a entrada em funcionamento de mais 80 leitos para ampliar a capacidade de absorção de casos de emergência pelos hospitais. Nos próximos dias, outras 100 novas vagas devem ser disponibilizadas.

“O incremento faz parte da estratégia municipal para enfrentar o aumento na demanda de leitos clínicos e de UTI nas últimas semanas”, ressalta o site oficial do Executivo, que acrescenta:

“A elevação das internações de pacientes por Covid no Estado impacta especialmente na Capital, que é polo referência e acaba recebendo grande número de pacientes da Região Metropolitana e Interior do Estado. Hoje, mais de 60% das internações no município são de moradores de outras cidades”.

Como resultado deste esforço, a cidade conta desde o sábado (20) com mais dez leitos em unidades de terapia intensiva e 70 leitos clínicos, oferecidos pelo Hospital Porto Alegre (bairro Azenha). Também estão em fase final de contratação outros dez leitos UTI e 62 clínicos no Beneficência Portuguesa (Independência), para ingresso na rede o mais rápido possível.

Outros hospitais estão aumentando a oferta de leitos: a Santa Casa (Centro Histórico) disponibilizará mais dez leitos de UTI, ao passo que o Hospital de Clínicas (Rio Branco) terá outros dez agora e mais dez na sequência. O Cristo Redentor e o Conceição (Passo D’Areia), por sua vez, ainda estão definindo a quantidade de leitos que reforçará a rede de atendimento.

(Marcello Campos)

Voltar Todas de Rio Grande do Sul