A busca por testamentos em Cartórios de Notas do Rio Grande do Sul registra aumento acima da média em 2020 quando comparado a 2019

Também contribuiu para o aumento a possibilidade de o ato ser realizado de forma online. (Foto: Reprodução)

A pandemia causada pelo coronavírus trouxe uma preocupação inédita no Rio Grande do Sul. Os gaúchos realizaram no segundo semestre de 2020 uma maior quantidade de testamentos registrada pelo Colégio Notarial do Brasil – Seção Rio Grande do Sul (CNB/RS), que mostra um aumento de 6,27% no número de atos praticados no País em relação a 2019, em procedimento que agora também pode ser feito de forma online pela plataforma e-notariado.

O número total de 2.505 testamentos realizados diretamente em Cartórios de Notas do RS no segundo semestre de 2020 é 6% maior do que os 2.357 atos feitos no mesmo período de 2019. A variação de um ano para outro é três pontos percentuais superior à média histórica brasileira, que apontava um crescimento médio anual de 3% nos testamentos em Cartórios desde 2010. Com 441 mil testamentos, setembro foi o mês com a maior quantidade de documentos lavrados por tabeliães no RS.

“Com a chegada da pandemia, o aumento na busca pelos testamentos se deu por parte não só dos idosos, mas também de jovens, que se sentiram preocupados e quiseram garantir a transmissão de seus bens e direitos para quem entendam ser merecedores”, ressaltou o presidente do Colégio Notarial do Brasil – Seção Rio Grande do Sul (CNB/RS), José Flávio Bueno Fischer.

Outro fator que também contribuiu para o aumento no número de testamentos é a possibilidade de o ato ser realizado de forma online. Neste ambiente virtual o cidadão poderá atestar sua vontade perante um tabelião em videoconferência, contando com toda a estrutura necessária para a realização remota dos atos de transferência de bens, e os mesmos efeitos, garantias e segurança do processo presencial. Desde o início dos atos eletrônicos, mais de 37 mil atos notariais já foram realizados de forma digital.

Testamento

O testamento público é o documento pelo qual uma pessoa (o testador) declara como e para quem deseja deixar seus bens após a sua morte. Para realizar o ato é necessária a presença de duas testemunhas que não podem ser herdeiras ou beneficiadas pelo testamento, além dos documentos de identidade de todas as partes, requerentes e testemunhas. A presença de um advogado é opcional. O documento pode ser alterado e revogado enquanto o testador viver e estiver lúcido, e terá validade e publicidade somente após a morte do testador.

Voltar Todas de Rio Grande do Sul