Polícia Civil de Quaraí investiga caso de bebê hospitalizado com fraturas nas costelas

Pais levaram a criança ao hospital. Segundo Conselho Tutelar, eles não souberam explicar o que ocasionou as lesões. Filha mais velha do casal passou por exames e está em observação. A Polícia Civil de Quaraí, na Fronteira Oeste do RS, abriu inquérito para investigar o caso de um bebê de um mês que foi hospitalizado com fraturas nas costelas, na última quarta-feira (18).
A criança foi levada pelos pais ao Hospital de Caridade de Quaraí, onde foram constatadas múltiplas lesões após uma radiografia.
Os próprios pais procuraram a Polícia Civil, onde o casal foi ouvido. Segundo a delegada Patrícia Sanchotene, não ficou claro se eles foram responsáveis pelas fraturas.
A Polícia trabalha com a hipótese de agressão ou de negligência por parte dos pais. Os investigadores aguardam a chegada de um laudo médico que vai ser feito ao longo da quinta-feira (19).
O Conselho Tutelar acompanha o caso e se manifestou em nota. Segundo o órgão, o casal possui mais dois filhos, de 1 e 3 anos, e foi solicitado que eles passassem por exames de saúde.
A criança mais velha precisou ficar em observação para esperar a conclusão dos exames. Um termo de responsabilidade foi lavrado para que as avós das crianças fiquem responsáveis por elas, enquanto acontece o inquérito policial. Leia a nota abaixo.
Nota do Conselho Tutelar de Quaraí
“O Conselho Tutelar vem a público esclarecer que a ação que resultou atendimento no Hospital de Caridade de Quaraí aonde encontrava-se uma criança de 1 mês de idade com múltiplas fraturas na região da costela, surgiu através de um comunicado do Hospital, quando uma família levou a lactente para consulta no pronto socorro por choro e após exames de Raio-X foi identificado as fraturas. Os genitores sem saber relatar o que pode ter ocasionado as lesões, lhes foi informado que o caso seria encaminhado até a polícia civil para que seja tomado seus depoimentos e encaminhado ao MP para salvaguardar a integridade do bebe. É papel do Conselho Tutelar averiguar todas as denúncias que chegam ao equipamento referente a quebra de garantia de direitos de crianças e adolescentes. Após recebidas as informações ao CT, averigua a mesma e aplica todas as medidas protetivas cabíveis.
Entretanto nesse caso especifico, não se pode identificar em primeiro momento o que ocorreu para resultar nas fraturas que se encontra o bebe e dessa maneira permanece em atendimento hospitalar até o dia de hoje. A família também possui mais duas crianças de 01 e 03 anos de idade, que passaram por avaliação medica após solicitado por esse conselho no qual se teve a necessidade da criança mais velha ficar em observação hospitalar para aguardar resultados de exames clínicos. Foi lavrado termo de responsabilidade aonde as avós tanto maternas quanto paternas ficaram responsáveis pelas 03 crianças, até que seja tomada decisão judicial. Diante o exposto o Conselho Tutelar pede a compreensão de todos no sentido de como de fato se deu o ocorrido, e solicita que não seja feita qualquer julgamento precipitado quando aos envolvidos no fato até que seja concluído o inquérito policial. Sendo que se apresenta para momento. Quaraí, 19 de agosto de 2021.”
VÍDEOS: Tudo sobre o RS

Artigo anteriorCom alta de precatórios, Guedes cita dificuldades para novo programa social ‘exequível’
Próximo artigo‘Está tranquilo, mas política é como nuvem’, diz relator sobre sabatina de Aras