PF cumpre mandados na casa de prefeito gaúcho flagrado com R$ 505 mil

Por determinação do ministro Alexandre de Moraes, do STF, a Polícia Federal cumpre mandados de busca e apreensão na casa do prefeito de Cerro Grande do Sul (RS), Gilmar Alba (PSL), flagrado recentemente com 505.000 reais no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo. A PF também foi até a sede Prefeitura do município gaúcho.

Na semana passada, o presidente da CPI da Pandemia, Omar Aziz despachou ao Supremo uma denúncia de possível utilização de dinheiro sujo para financiar os atos bolsonaristas de 7 de setembro, a partir da ocorrência envolvendo o prefeito gaúcho, que estaria levando a dinheirama para Brasília.

Alba, por sinal, tem um histórico de vídeos controversos na internet. Um belo dia, o prefeito decidiu se algemar a um munícipe e, já calibrado, desfilou de mãos dadas com o parceiro até que veio a natural vontade de ir ao banheiro. Preso ao contribuinte, Gringo Louco, como é conhecido na cidade, não teve dúvida: fez onde estava.

Em outra gravação, o prefeito aparece rindo ao lado do próprio carro, depois de cair numa vala em uma região rural da cidade. “O prefeito acaba de se f…”, diz Alba, gargalhando.

Há ainda um vídeo em que o prefeito se diz “empresário bem-sucedido, não precisando desse Brasil velho” e aparece pendurado na pá de uma retroescavadeira demolindo o que seria uma de suas empresas em protesto contra o STF e a soltura de Lula.