Mais de 80% da população adulta do Rio Grande do Sul já recebeu ao menos uma dose de vacina contra covid

Dados oficiais apontam que até a noite desta terça-feira (17) mais de 6,9 milhões de habitantes do Rio Grande do Sul já receberam ao menos a primeira dose de vacina contra o coronavírus. Isso equivale a 80,4% dos adultos (8,95 milhões), 85,7% do grupo prioritário (5,25 milhões) e 63,3% da população em geral (11,37 milhões nos 497 municípios gaúchos).

Já o esquema completo de imunização abrange até o momento mais de 3,17 milhões de pessoas – seja quem recebeu duas doses para fármacos com esse sistema ou os contemplados pela vacina da Janssen (apenas uma injeção). Isso representa 38,8% dos indivíduos maiores de 18 anos, 58% do grupo prioritário e 30,5% da população geral do Estado.

No caso específico da Janssen, as aplicações já chegaram a quase 295 mil gaúchos em quase dois meses desde a  sua introdução na campanha estadual. Essa e outras informações constam na base de dados da Secretaria Estadual da Saúde (SES), atualizada diariamente por meio das redes sociais e de link específico no site estado.rs.gov.br.

Ainda falta quase 20%

A mencionada abrangência da primeira dose para 80,4% dos gaúchos maiores de 18 anos representa uma corrida contra o tempo para as autoridades. Isso porque a meta da SES é subir esse índice a um índice de 100% até a metade da semana que vem.

Em reunião na segunda-feira (16), representantes do governo do Estado e das prefeituras na Comissão Intergestores Bipartite (CIB) definiram um novo sistema para distribuição das vacinas aos municípios: já nesta quarta-feira (18), as cotas deixam de ser repartidas por faixas etárias, passando a prevalecer o critério da necessidade de doses.

“Vamos calcular quantas doses cada cidade ainda precisa para primeira aplicação ou injeção única, independentemente de qual idade mínima já esteja sendo vacinada”, explicou a chefe da Divisão de Vigilância Epidemiológica, Tani Ranieri.

Conforme a secretária-adjunta da SES, Ana Costa, a distribuição por faixa etária tem sido utilizada com eficiência, mas a contagem regressiva para atingir a meta exigiu uma reconfiguração da logística: “É importante nos basearmos nas doses que faltam em cada um dos municípios para que alcancem esse objetivo o mais próximos uns do outros”.

Os gestores municipais que quiserem reportar alguma distorção no rateio de doses ou pedir doses extras poderão entregar ofício à Secretaria. A argumentação será analisada por uma equipe técnica conjunta entre a pasta e Conselho das Secretarias Municipais de Saúde (Cosems) do Rio Grande do Sul.

Panorama da vacinação

Até o momento, 39 municípios já informaram ao governo gaúcho terem recebido ampolas suficientes para aplicar primeira dose (ou única) em todos os adultos.

A chefe da Divisão de Vigilância Epidemiológica, Tani Ranieri, acrescenta que, independentemente de eventuais distorções na distribuição, todos os 497 municípios receberão a quantidade necessária para contemplar integralmente a sua população maior de 18 anos.

Nova distribuição

Nesta quarta-feira (18), a Secretaria Estadual da Saúde distribuiu cerca de 200 mil doses da vacina da Pfizer e outras 40 mil da Coronavac aos municípios. Ambos os lotes chegaram ao Rio Grande do Sul no sábado e na segunda-feira.

Os imunizantes serão utilizados para avançar na campanha de vacinação (primeira dose), já sendo utilizado o novo método de cálculo.

Na mesma entrega, foram encaminhadas cerca de 260 mil doses de Astrazeneca para segunda dose. A remessa foi composta por cerca de 180 mil unidades que chegaram na segunda-feira (16) e outras 85 mil que estavam reservadas na Central de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos (Ceadi), em Porto Alegre.

(Marcello Campos)

Artigo anteriorPacheco defende que STF rejeite ação de parlamentares contra valor do fundo eleitoral
Próximo artigoCâmara aprova em 2º turno PEC que retoma coligações para eleição de deputados e vereadores