Dólar sobe com preocupações sobre vacina e de olho nas incertezas fiscais


Na sexta-feira, moeda norte-americana fechou em queda de 1,11%, a R$ 5,5259. Notas de dólar e real em casa de câmbio no Rio de Janeiro
REUTERS/Bruno Domingos
O dólar opera em alta nesta terça-feira (13), em volta de feriado marcada pela cautela global depois que um importante estudo de uma vacina para a Covid-19 foi interrompido, enquanto os investidores continuavam de olho na saúde fiscal doméstica.
Às 10h50, a moeda norte-americana subia 1,28%, cotada a R$ 5,5964. Na máxima até o momentom, chegou a R$ 5,6024. Veja mais cotações.
Na sexta-feira, fechou em queda de 1,11%, a R$ 5,5259, acumulando baixa de 2,52% na semana. No mês, passou a acumular um recuo de 1,64%. No ano, porém, a valorização é de 37,81%.
O Banco Central fará nesta terça-feira leilão de swap tradicional para rolagem de até 10 mil contratos com vencimento em abril e julho de 2021.
Real é a moeda com o pior desempenho no mundo em 2020; entenda as causas

Cenários
No exterior, pesam as incertezas sobre a evolução da pandemia de coronavírus e dúvidas sobre o cronograma de uma vacina, após decisão da Johnson & Johnson de interromper temporariamente seus testes clínicos com a Covid-19 após doença inexplicada em um participante.
O Fundo Monetário Internacional (FMI) revisou nesta terça-feira suas estimativas para a economia mundial e passou a projetar um tombo de 4,4% para a economia global este ano – uma melhora em relação à estimativa de junho, que via uma queda de 4,9%. Já para a economia brasileira o FMI agora vê uma queda de 5,8% no PIB brasileiro este ano.
Na agenda de indicadores domésticos, os economistas do mercado financeiro elevaram sua estimativa de inflação para este ano e passaram a prever um tombo maior do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020. Segundo o relatório focos do Banco Central, a estimativa para a inflação do ano subiu de 2,12% para 2,47%. Foi a nona alta seguida do indicador. Já a projeção de retração da economia neste ano passou de 5,02% para 5,03%.
Os analistas também elevaram a projeção para a taxa de câmbio no fim de 2020, de R$ 5,25 para R$ 5,30. Para o fechamento de 2021, avançou de R$ 5 para R$ 5,10 por dólar.
“A política tem uma semana curta em meio ao recesso branco em Brasília, sem sessões previstas na Câmara e no Senado e com congressistas focados nas eleições”, destaca a equipe da XP Investimentos.
Variação do dólar em 2020
G1
Assista: últimas notícias de economia