Bovespa opera em alta, mas caminha para perda na semana


Na quinta-feira, o principal índice da bolsa fechou em queda de 2,28%, a 116.677 pontos. O principal índice de ações da bolsa de valores de São Paulo, a B3, opera em alta nesta sexta-feira (3), mas caminhava para fechar a semana no vermelho.
Às 10h38, o Ibovespa subia 0,16%, a 116.864 pontos. Veja mais cotações.
Na quinta-feira, a bolsa fechou em queda de 2,28%, a 116.677 pontos, com os mercados reagindo negativamente ao texto da reforma do Imposto de Renda aprovada pela Câmara dos Deputados, que entre outras medidas estabelece tributação de dividendos e acaba com o mecanismo de juros sobre capital próprio (JCP).
Com a queda da véspera, passou a acumular recuo de 1,77% no mês e perda de 1,96% no ano.
s
Câmara conclui votação da Reforma do Imposto de Renda
Cenário
Nos EUA, a criação de vagas de trabalho nos desacelerou mais do que o esperado em agosto em meio a uma diminuição da demanda por serviços e a persistente escassez de trabalhadores conforme as infecções por Covid-19 aumentam, mas o ritmo foi suficiente para sustentar a expansão econômica. A economia norte-americano abriu fora do setor agrícola 235 mil postos de trabalho no mês passado, após 1,053 milhão em julho.
Na cena doméstica, a Câmara dos Deputados concluiu na véspera a votação da proposta de reforma do Imposto de Renda (IR) de pessoas físicas, empresas e investimentos. A única mudança aprovada pelos parlamentares durante a votação dos destaques foi a redução da tributação de lucros e dividendos para 15%. Foram 319 votos a 140. O texto-base da proposta, aprovado na quarta (1º) previa a tributação de 20%. O texto segue, agora, para o Senado.
O Ministério da Economia, entretanto, não divulgou estimativas sobre o impacto fiscal da versão da reforma aprovada pela Câmara. Segundo cálculos do Consefaz (secretários de Fazenda), o texto pode trazer perdas para a União, Estados e Municípios de R$ 41,3 bilhões.
Os agentes financeiros seguiam atentos ainda à deterioração da relação entre os Poderes. Às vésperas do 7 de Setembro que promete diversos atos de apoio ao governo, o presidente Jair Bolsonaro disse que a “fotografia” do feriado servirá de “lição” para todos os brasileiros. Ontem, porém, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, mostrou-se mais preocupado em defender a democracia e do Estado de Direito, às vésperas do feriado prolongado e em meio à expectativa das manifestações no Dia da Independência.
Ibovespa = 02.09.21
Economia G1

1xVelocidade de reprodução0.5xNormal1.2×1.5x2x