RS sai da estabilidade e tem crescimento de casos de Covid e SRAG, aponta Fiocruz


Sinal forte de alta de casos das doenças leva em consideração a incidência nas últimas seis semanas. Pesquisador da Fiocruz afirma que retomada das atividades provocou tendência, que deve resultar em mais internações e óbitos. Profissionais de saúde do Hospital de Clínicas em Porto Alegre
HCPA/Divulgação
O Boletim InfoGripe, divulgado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) nesta sexta-feira (28), mostra que o Rio Grande do Sul apresenta sinal forte de alta nos casos de Covid-19 e de síndrome respiratória aguda grave (SRAG). Isso significa que a taxa de crescimento das doenças é superior a 95%. Até a última semana, o RS estava em patamar de estabilidade.
O pesquisador Marcelo Gomes, coordenador do InfoGripe, explica que a piora dos números tem relação com a retomada de atividades, o que pode impactar nas hospitalizações e óbitos por Covid e SRAG.
“O estudo sinaliza que o cenário atual está associado à retomada das atividades de maneira precoce. Tal situação manterá o número de hospitalizações e óbitos em patamares altos, com tendência de agravamento nas próximas semanas”, disse.
RS registra 122 mortes por Covid
Rio Grande do Sul, Amazonas e Mato Grosso do Sul são os estados que apresentam maior crescimento de casos nas últimas seis semanas, conforme a Fiocruz. No recorte das últimas três semanas, o sinal de alta do RS é considerado moderado.
O controle da Fiocruz tem cinco níveis: sinal forte de alta (superior a 95%), sinal moderado de alta (superior a 75%), estabilidade (oscilação), sinal moderado de queda (superior a 75%) e sinal forte de queda (superior a 95%).
Situação por macrorregiões
A Fiocruz observa a incidência de casos também nas macrorregiões estaduais. Veja quais são abaixo.
No RS, sete das seis regiões apresentam sinal forte de alta nas últimas seis semanas: Metropolitana, Missioneira, Norte, Serra, Sul e Vales. A região Centro-Oeste tem sinal moderado de alta.
No levantamento de curto prazo, que monitora a situação das últimas três semanas, a situação é moderada nas mesmas seis regiões, com os municípios do Centro-Oeste gaúcho em patamar de estabilidade.
Macrorregiões do RS:
Centro-Oeste: regiões de Santa Maria e Uruguaiana.
Metropolitana: regiões de Porto Alegre, Guaíba, Canoas, Novo Hamburgo, Taquara e Capão da Canoa.
Missioneira: regiões de Cruz Alta, Ijuí, Santa Rosa e Santo Ângelo.
Norte: regiões de Passo Fundo, Erechim e Palmeira das Missões.
Serra: região de Caxias do Sul.
Sul: regiões de Pelotas e Bagé.
Vales: regiões de Cachoeira do Sul, Santa Cruz do Sul e Lajeado.
VÍDEOS: Tudo sobre o RS