Arthur Lira é premiado com a ‘Motosserra de Ouro 2021’ em protesto do Greenpeace Brasil


Ativistas encenaram a entrega da “honraria” na porta do Congresso Nacional. Participantes vestidos de gala desfilaram por um tapete vermelho. O prêmio já “agraciou” Ricardo Salles e Katia Abreu. Arthur Lira é premiado com a ‘Motosserra de Ouro 2021’
Adriano Machado/GreenPeace
O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), foi simbolicamente premiado com o “Prêmio Motosserra de Ouro Edição 2021”, um protesto anual do Greenpeace Brasil contra personagens da política considerados ameaça ao meio ambiente.
O protesto ocorreu no Anexo II do Congresso Nacional, em Brasília, onde ativistas encenaram a entrega da “honraria”. Participantes vestidos de gala desfilaram por um tapete vermelho e acompanharam a entrega do prêmio a um homem caracterizado de Arthur Lira, exibindo seu crachá de “funcionário do mês do (des)governo Bolsonaro” e segurando um molho de chaves.
“As chaves que o Lira de mentira carregava na encenação de hoje simbolizam a casa do povo fechada a sete chaves pelo próprio Arthur Lira”, explicou Thais Bannwart, porta-voz de Políticas Públicas do Greenpeace Brasil.
Presidente da Câmara é criticado com projeções por agilizar votação de temas prejudiciais ao meio ambiente
Na semana passada, Lira foi alvo de críticas com projeções em prédios estratégicos de cinco capitais brasileiras. O protesto de quinta-feira (12), que deu ao político a alcunha de “Lirinha, o fantochinho do presidente”, foi organizado pelo Observatório do Clima, rede composta por 66 organizações não governamentais e movimentos sociais.
Lira é apontado por entidades ambientais como o responsável por agilizar a votação de propostas nocivas à conservação ambiental como o Projeto de Lei da Grilagem e o Projeto de Lei do Licenciamento Ambiental.
Initial plugin text
Motosserra de Ouro
No protesto desta terça-feira (17), Lira é criticado pelo Greenpeace pelas pautas já colocadas em votação, além da perspectiva de colocar em votação o “PL do Veneno (6.299/2002) e projetos de lei contra povos indígenas (por exemplo, o PL 490/2007 e o PL 191/2020)”.
“O presidente da Câmara vem seguindo à risca seu compromisso com o projeto de destruição ambiental de Bolsonaro, prova disso é que, em seis meses de mandato, Lira conseguiu aprovar o pior texto do PL do Licenciamento Ambiental e, recentemente, o PL da Grilagem. São projetos como estes que impulsionam o desmatamento, o fogo e a violência contra povos indígenas e do campo, além de agravar a emergência climática. Por tudo isso, Lira tem se mostrado o grande merecedor do prêmio Motosserra de Ouro Edição 2021 e é hora de entregarmos esse troféu a ele”, declarou Bannwart.
As organizações da sociedade civil Observatório do Clima, Instituto Socioambiental (ISA), Instituto Democracia e Sustentabilidade (IDS) e Instituto Sociedade, População e Natureza (ISPN) também participaram do protesto.
A senadora Katia Abreu e o ex-ministro do Meio Ambiente do presidente Jair Bolsonaro, Ricardo Salles, também foram agraciados com o Motosserra de Ouro em edições passadas. Em maio, Abreu chegou a gravar um vídeo repassando o troféu a Salles e ironizou: “Eu era ministra da Agricultura, agora ele, como ministro do Meio Ambiente, receber de mim o troféu é algo inédito”.

Artigo anteriorRio Grande do Sul registra 1.756 novos casos de Covid-19 e mais 39 mortes provocadas pela doença
Próximo artigoEUA investigam sistema de direção autônoma da Tesla após acidentes