O secretário da Casa Civil do governo gaúcho foi indicado para a Diretoria de Planejamento do BRDE

O governador Eduardo Leite anunciou, nesta terça-feira (12), a indicação do secretário-chefe da Casa Civil, Otomar Vivian, para a Diretoria de Planejamento do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo-Sul (BRDE). Até que a medida seja aprovada pela Assembleia Legislativa e pelo Banco Central (BC), ele seguirá no comando da Casa Civil.

Otomar, que completou 69 anos em dezembro, começou a carreira pública como secretário-geral de sua cidade natal, Caçapava do Sul (Região da Campanha). Elegeu-se prefeito em duas gestões (1983-1988 e 2012-2016), foi deputado estadual em duas legislaturas (1991-1994 e 1999-2002), presidiu a Assembleia em 2000 e, no ano seguinte, assumiu a presidência da Comissão Especial da Previdência.

Em 1995, foi escolhido presidente do Instituto de Previdência do Estado (Ipe), cargo que voltou a ocupar em 2003-2008 e 2017-2018. De 1996 a 1998, esteve à frente da Secretaria da Administração e dos Recursos Humanos e, na sequência, assumiu a Diretoria de Planejamento do BRDE (novembro de 2008 a setembro de 2009), cargo para o qual agora deve voltar, a depender do aval necessário.

Ligado ao Partido Progressista, Otomar Vivian já comandou a Casa Civil em 2009-2010 – os últimos dois anos de gestão da então governadora Yeda Crisius (PSDB). Antes da política, ele atuava como professor de Educação Física, formado pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

Manifestações

Ao fazer o anúncio, Eduardo Leite destacou que o secretário foi um dos principais colaboradores para que o Palácio Piratini conseguisse aprovar de projetos de reforma:

“O governo do Estado é um proponente da agenda, mas ela tem de prosperar na Assembleia Legislativa. O secretário Otomar foi peça fundamental para isso, ao lado do nosso líder do governo na Assembleia, Frederico Antunes. Ele deu uma enorme contribuição e continuará contribuindo com o Estado por meio do BRDE, com sua experiência política e administrativa”.

Em resposta, o secretário agradeceu a confiança do governador em convidá-lo, em dezembro de 2018, a chefiar a Casa Civil e assumir a missão de contribuir para que reformas fossem aprovadas:

“Isso significaria construirmos uma base política na Assembleia, com 40 deputados, que é a maior bancada de apoio a um governo desde a redemocratização e o pluripartidarismo do País. Com muita honra, vou continuar a integrar o time do governador em uma outra posição, ajudando a promover o desenvolvimento do Estado, ainda mais importante nestes novos tempos e em plena pandemia”.

Ex-secretária de Planejamento, Orçamento e Gestão na atual gestão, Leany Lemos foi indicada por Eduardo Leite para ser a representante do Rio Grande do Sul na direção do BRDE. A partir do rodízio estabelecido entre os três Estados do Sul (acionistas do banco), ela se tornou a primeira mulher a assumir a presidência da instituição, cargo que ocupa desde dezembro.

Sobre essa presença, o governador sublinhou: “A missão, agora, será aprofundar a participação do banco, ao lado da nossa ex-secretária Leany, que hoje preside a instituição, para o desenvolvimento do Estado com a participação dos municípios, que é o que queremos para o BRDE: um banco cada vez mais entrosado com os municípios, ajudando a financiar investimentos, porque o que também queremos para o RS é um Estado que se desenvolve a partir da qualificação das suas cidades”.

(Marcello Campos)